Sociedade | 12-11-2015 19:53

Benavente com multas de 250 euros para quem não apanhar dejectos de animais

O novo regulamento de resíduos sólidos urbanos de Benavente prevê um aumento das coimas para diversas infracções, mas a que mais sobe é a aplicada aos donos de animais domésticos que não recolham os dejectos dos mesmos nas ruas do concelho.O regulamento, que foi aprovado pela câmara e espera agora aprovação por parte da assembleia municipal, prevê coimas de 250 euros para donos de animais que não apanhem os dejectos. Esta é uma cedência da autarquia, após consulta pública à população e às políticas, pois a intenção inicial seria a de aplicar uma coima de 500 euros, por se considerar que este comportamento coloca um sério risco para a saúde púbica.A intenção da autarquia é, antes de aplicar de forma literal o regulamento, que entrará em funcionamento no princípio de 2016, promover um período de adaptação, devidamente acompanhado de uma campanha de sensibilização transversal."O objectivo é actuar nas escolas, com visitas de técnicos da câmara, acompanhados por elementos das forças policiais, sempre numa perspectiva de sensibilização, sobretudo nas gerações mais jovens", explicou Ana Carla Gonçalves, vereadora da CDU com o pelouro do Ambiente e também do Planeamento Urbanístico e Desenvolvimento.A campanha de sensibilização prevê, além das referidas acções presenciais, a distribuição de informação em papel pela população, a divulgação de mensagens nas redes digitais do município como o sítio da câmara municipal na Internet e facebook."A fiscalização destas medidas ficará a cargo dos dois fiscais que a câmara possui nos quadros, além das forças policiais. É um facto que precisamos de mais fiscais, mas não os podemos contratar e, por isso, teremos de encontrar soluções. Já reunimos com a GNR para pedir maior apoio e contamos igualmente com o comportamento cívico da população para que a mesma nos chame à atenção para comportamentos irregulares que detectem", adiantou Carlos Coutinho, presidente da autarquia CDU. O autarca reconhece, no entanto, que vai ser uma batalha complicada. "Por razões culturais, há países em que a auto-regulação funciona. Não é o nosso caso e há hábitos que não defendem o interesse comum, mas não defendemos uma atitude repressiva. É certo que defendíamos uma coima maior para quem abandona dejectos de animais na via pública", concluiu.* Notícia desenvolvida na edição semanal de o Mirante

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo