Sociedade | 21-02-2016 00:37

Centro de Interpretação da Póvoa cedido aos escoteiros após queixas de abandono

Espaço está fechado praticamente desde que foi inaugurado em 2013 .

O Cento de Interpretação do Ambiente e da Paisagem existente no Parque Linear Ribeirinho da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa tem estado fechado o que tem motivado queixas várias por parte de quem quer utilizar o espaço. A cedência da exploração à Associação de Escoteiros de Portugal pode ser a solução para reactivar o equipamento. Da responsabilidade da Câmara de Vila Franca de Xira, tem sido à União de Freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa que têm chegado as queixas, sobretudo através da página de Facebook.

Diogo Parrinha, um dos utilizadores da página, deixou uma crítica que espelha o sentimento de outras pessoas que O MIRANTE encontrou no local. "(,,,) A função de um centro de interpretação ambiental passa pela divulgação e educação ambiental, que muita falta faz, ainda para mais tratando-se de uma área importante para aves de extrema importância como área de nidificação e refúgio alimentar para inúmeras espécies de aves, que atraía muito turismo mesmo antes do parque ribeirinho existir. Agora seria importante exercer essa função de educação e divulgação! Um Centro de Interpretação do Ambiente e da Paisagem fica muito bem nos jornais e nas notícias, mas quando lá vou só vejo um contentor fechado!", pode ler-se.

Álvaro Dias, residente em Santa Iria da Azóia, estranha igualmente o fecho da cafetaria. "É pena ter isto tudo encerrado. Há dias, quando ainda não estava a chover tanto, vim com a minha família para beber um café e deparei-me com a cafetaria fechada. Devia ser reaberta, pode atrair turistas, além de que evitava também que o caminho para aqui estivesse tão vandalizado. Não há um único candeeiro que não esteja partido e sem luz a funcionar", lamentou.

Na última reunião de câmara de Vila Franca de Xira, realizada a 10 de Fevereiro, as críticas também se fizeram ouvir por parte da oposição. "O espaço não tem tido utilização e tem estado sempre encerrado. Depois de ser inaugurado, várias iniciativas tiveram de ser canceladas porque chovia lá dentro e não tinha electricidade. Aquele espaço tem deficiências graves, os escoteiros pedem material para resolver, teremos de ver como é que isso será possível. O espaço da cafetaria também precisa de ser melhor tratado e rapidamente deve existir a concessão do espaço para o colocar ao serviço da população", referiu Ana Lídia Cardoso, vereadora da CDU.

Na resposta, o vice-presidente da autarquia, Fernando Paulo Ferreira (PS), deu a novidade: "O espaço vai ser concessionado à Associação dos Escoteiros de Portugal. Esta entrega é uma oportunidade de ouro para dar mais dinâmica ao espaço e sustentabilidade ambiental ao local. A entrada dos escuteiros é oportunidade para reforçar o papel da câmara na melhoria da qualidade do espaço e esta relação tem tudo para correr bem. A cafetaria foi alvo de concessão e tem abertura prevista para Março, há uma expectativa grande de se poderem vir a fazer mais actividades de dinamização do espaço".

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo