Sociedade | 21-02-2016 00:33

Luís de Sousa volta atrás e já admite cedência do Convento das Virtudes

Luís de Sousa volta atrás e já admite cedência do Convento das Virtudes
AZAMBUJA

Depois de ter dito peremptoriamente que não haveria protocolo com a Junta de Freguesia de Aveiras de Baixo, o presidente da Câmara de Azambuja volta a dizer que isso é uma possibilidade.

O presidente da Câmara Municipal de Azambuja, Luís de Sousa (PS), deu o dito por não dito e depois de afirmar peremptoriamente que não ia assinar qualquer protocolo de cedência do Convento das Virtudes, na freguesia de Aveiras de Baixo, à junta de freguesia liderada pelo social-democrata Carlos Valada, vem agora dizer que tal protocolo poderá existir num futuro que pode até nem estar longínquo.

Carlos Valada questionou o líder da autarquia numa das mais recentes reuniões públicas do município acerca da recusa em fazer o protocolo e, ao mesmo tempo, sobre as acusações de que teriam sido provocados danos no telhado do convento pelo lançamento de fogo-de-artifício numa festa local, fazendo questão de esclarecer que desde 2010 que o convento apresenta problemas de infiltrações, apresentando trocas de mails com a autarquia a reportar o problema.

"Se não quer fazer o protocolo diga-o claramente e de uma vez por todas. Mas aludir às deficiências das obras e dizer que os danos foram provocados pelo fogo-de-artifício para justificar este recuo em estabelecer um protocolo que se arrasta desde o mandato passado não é correcto nem verdadeiro", atirou.

Luís de Sousa voltou novamente atrás e, em resposta a Carlos Valada, admitiu que primeiro há que fazer obras para solucionar os problemas de infiltrações e outros que existem. "Quanto ao resto, já tinha dito que estava a pensar colocar lá uma funcionária para ter o espaço aberto. Quanto ao protocolo teremos de voltar a falar no futuro, mas não coloco de parte", referiu.

Carlos Valada estranhou a posição e alertou para o facto de "o espaço, onde se investiram verbas consideráveis, estar fechado". Na mesma reunião, o vereador da CDU, David Mendes, desafiou o presidente da junta a apresentar um programa detalhado de dinamização do convento. "Convença-nos da eficácia da sua proposta, mas devo dizer que não sei se tem condições para pagar água, e luz, e se não será esta uma despesa a mais, quando a Junta de Aveiras de Baixo é das que recebe menos verbas". Carlos Valada estranhou, mas não respondeu.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo