Sociedade | 11-03-2016 00:01

Confraria Gastronómica de Almeirim prepara novidades para Festival da Sopa de Pedra

Confraria Gastronómica de Almeirim prepara novidades para Festival da Sopa de Pedra
A Confraria Gastronómica de Almeirim já está a preparar o Festival da Sopa de Pedra, que este ano vai ter mais um dia. A iniciativa já está marcada para o período entre 31 de Agosto e 4 de Setembro. O grão-mestre da confraria, Rui Figueiredo, revela a O MIRANTE que estão também a ser preparadas algumas alterações para que existam melhores condições no festival que mudou de local no ano passado, para o Parque das Tílias, junto à praça de toiros. Para Rui Figueiredo, este festival, que "dá muito trabalho a organizar", é o grande evento de divulgação da sopa de pedra e de Almeirim. A confraria está também a ultimar o processo de comercialização de um doce e de um salgado alusivo à sopa de pedra e que foram desenvolvidos pela associação, como forma de promover a gastronomia local e de preencher um vazio. Isto porque quem vai aos restaurantes de Almeirim não tem uma recordação para levar para casa ou oferecer a alguém. O pastel do frade (doce) e a trouxa da pedra (salgado) vão ser produzidos por empresas com quem a confraria assinou acordos. "Pretendemos que antes do Verão estes produtos já estejam à venda", refere Rui Figueiredo. Os doces e salgados inicialmente vão ser vendidos em Almeirim, sobretudo nos estabelecimentos de restauração. Os produtos foram lançados há quase três anos mas só agora a confraria conseguiu encontrar os parceiros para desenvolver a criação. Rui Figueiredo recorda que a restauração é uma importante área económica do concelho. "Almeirim e a Mealhada são os principais pólos gastronómicos do país. Em Almeirim, num fim-de-semana são servidas mais de três mil refeições e em outras alturas, como em Agosto, o número de pessoas que vai aos restaurantes da cidade aumenta bastante", refere. Para além da sopa de pedra, o prato mais conhecido da cidade, a confraria está também a apostar na promoção da caldeirada de bacalhau à moda de Almeirim, um prato único no país, segundo o grão-mestre. Este prato é confeccionado com os enchidos tradicionais da sopa da pedra mas ainda é raro encontrá-lo nas ementas dos restaurantes. A confraria tem vindo também a apostar na prestação de serviços, servindo sopa e enchidos, além de aperitivos, em eventos, como aconteceu na entrega dos Prémios Personalidade do Ano de O MIRANTE, que decorreu em Almeirim no dia 25 de Fevereiro. Uma forma também de angariação de receitas. Actualmente a confraria tem três dezenas de membros que colaboram na organização de actividades e que participam em eventos noutras regiões para divulgar a gastronomia de Almeirim. A confraria já esteve também no estrangeiro, em iniciativas em Espanha, Bruxelas, e Hungria. Recentemente apresentaram na Casa de Macau em Lisboa a caldeirada de bacalhau. Rui Figueiredo realça que desde o aparecimento da confraria, em 14 de Maio de 2004, houve um salto muito grande na divulgação da gastronomia local e do nome de Almeirim, em virtude do interesse das televisões. Um dos factos que, realça, contribui para o interesse é os trajes dos confrades, que chamam a atenção. A confraria vai participar, a 29 de Maio, no evento do dia nacional da gastronomia, que se realiza pela primeira vez. Dias antes, a 21 de Maio, a confraria realiza o seu capítulo, a cerimónia de entronização de novos membros que têm de comer uma tigela de sopa de pedra para provar que estão à altura de fazer parte da associação.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo