Sociedade | 12-03-2016 01:34

Câmara de Abrantes reforça capital do Tagusvalley com 530 mil euros

Câmara de Abrantes reforça capital do Tagusvalley com 530 mil euros

Assembleia Municipal de Abrantes aprova proposta que suscitou polémica e só passou com os votos da maioria socialista

A Assembleia Municipal de Abrantes aprovou a aquisição, pelo município, de 106 unidades de participação no capital do Tagusvalley _ Tecnopólo do Vale do Tejo pelo valor de 530 mil euros, mas a questão não foi pacífica com o PSD a dizer que se está perante uma ilegalidade. José Vitorino questionou a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque (PS), na sessão e colocou uma série de questões, relacionadas com falta de documentos e outros que vinham redigidos pelo Tagusvalley e que deviam ser provenientes da câmara municipal. Numa lista longa, o eleito do PSD questionou ainda por que razão os outros accionistas também não adquirem unidades de participação no Tecnopólo do Vale do Tejo. José Vitorino levantou dúvidas sobre a sustentabilidade da empresa e os seus resultados financeiros, que considerou "desastrosos", referindo que "a lei é clara e as unidades de participação devem ser alienadas" e que "o município está prestes a cometer uma ilegalidade ao deliberar sobre esta matéria". Maria do Céu Albuquerque referiu a importância do Tecnopólo e explicou que este reforço de capital prende-se com investimentos que, a não serem feitos pela Tagusvalley, teriam de ser feitos pelo município. Investimentos com o objectivo de qualificar o espaço e pô-lo ao serviço da economia local, regional e nacional. A presidente da câmara considerou a intervenção do eleito do PSD "deplorável" afirmando tratar-se de uma manobra política. Acusou José Vitorino de fazer acusações gravíssimas ao dizer que a Câmara de Abrantes estaria a propor à assembleia municipal que cometesse uma ilegalidade, o que diz não ser verdade. Sobre os resultados financeiros do Tagusvalley, Maria do Céu Albuquerque considera que "não são desastrosos" e que "desastrosa é uma política que foi levada a cabo nos últimos tempos e não ter sido possível introduzir na actividade económica um cêntimo, através do actual quadro comunitário". Na resposta, José Vitorino disse que a sua intervenção nada teve de política, sendo técnica e jurídica, declarando ter dúvidas que o Tribunal de Contas tenha uma posição favorável a esta deliberação que considera ser ilegal. Se isso acontecer, diz, na sua qualidade de deputado municipal perguntará à Direcção Geral das Autarquias Locais (DGAL) e à Inspecção Geral de Finanças se têm conhecimento desta matéria. A proposta foi aprovada pela maioria socialista, com votos contra do PSD, CDU e BE. O Tagusvalley - Tecnopólo do Vale do Tejo é um parque de ciência e tecnologia localizado nas antigas instalações da União Fabril do Azoto da CUF, em Alferrarede, no concelho de Abrantes, desde 7 de Novembro de 2003. Resulta da aposta da Câmara Municipal de Abrantes em estimular o empreendedorismo e a competitividade na região e teve como parceiros fundamentais para o arranque a Nersant - Associação Empresarial da Região de Santarém e o Instituto Politécnico de Tomar.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo