Sociedade | 17-03-2016 13:49

Exposição ao amianto vai continuar em casas de renda social do Entroncamento

Os moradores dos quatro blocos de habitação social situados na rua General Humberto Delgado, no Entroncamento, só irão deixar de estar expostos ao amianto que está há vários anos a ser libertado pelas telhas partidas dos edifícios, se a câmara municipal conseguir aprovação de uma candidatura para reabilitação urbana no âmbito do quadro comunitário 2014-2020.A informação foi dada pelo presidente da autarquia, Jorge Faria (PS), em resposta à preocupação sobre o assunto manifestada pelo vereador da CDU, David Ribeiro, que se deslocou a um dos edifícios situados na rua Humberto Delgado, para tentar sensibilizar uma família que reside num apartamento com graves problemas de humidade, a mudar-se para uma casa no bairro social Frederico Ulrich. "Aquelas habitações têm telhas de lusalite e já há algum tempo, quando a câmara mandou limpar os telhados, havia muitas telhas que estavam partidas o que provoca infiltrações nas placas. (...) Aqueles telhados têm que ser substituídos, porque há dados que provam que a utilização daquela material provoca perigos para a saúde", referiu o autarca no decorrer da reunião de 15 de Fevereiro.O amianto, também conhecido como asbesto, é uma fibra mineral com tendência a produzir um pó de partículas muito pequenas que flutuam no ar e aderem às roupas. As fibras podem ser facilmente inaladas ou engolidas podendo causar graves problemas de saúde. No Entroncamento há, pelo menos mais um edifício municipal cuja cobertura em telhas da antiga fábrica Lusalite (Oeiras) está partido há anos, estando a libertar poeiras de amianto. Trata-se do cine-teatro S. João que se encontra encerrado mas que se situa numa zona habitacional e comercial, no centro da cidade. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo