Sociedade | 20-03-2016 00:54

Vêm aí grandes obras e os inevitáveis transtornos no centro de Vila Franca de Xira

Remodelação das redes de saneamento e abastecimento de água vai custar 284 mil euros.

O município de Vila Franca de Xira vai avançar com a remodelação da rede de abastecimento de água e saneamento, seguido da requalificação de pavimentos e calçadas, nas ruas do Curado e Joaquim Pedro Monteiro (onde está as Finanças), numa obra de milhares de euros que será a maior de sempre na cidade.A abertura do concurso público da primeira fase da obra foi aprovada na última reunião pública de câmara e os trabalhos rondam os 284 mil euros. Esta primeira fase das obras naquelas que são duas das ruas mais centrais da cidade, implica a remodelação dos esgotos, redes de pluviais e de abastecimento de água, trabalhos que ficarão a cargo dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento."Vai ser uma obra muito complexa e delicada, vamos trabalhar a mais de quatro metros de profundidade, em zonas lodosas. Mas chegou a altura de fechar este processo, é algo que já devia ter sido feito há muitos anos mas que pela sua complexidade foi sendo sempre adiado", explica Alberto Mesquita, presidente do município.O autarca diz que os dois arruamentos têm problemas "muito graves" ao nível do saneamento e que por isso a obra será "uma das grandes intervenções" de sempre na cidade. Um dos problemas que vai acabar logo que as obras fiquem prontas é o dos maus cheiros que frequentemente ali se sentem. "Será um trabalho de muita responsabilidade, os SMAS vão fazer um trabalho que não se vê mas que é muito importante. Vão existir problemas, mas vamos tentando resolvê-los e minorar os constrangimentos à medida que forem aparecendo", assegura António Oliveira, presidente do conselho de administração dos SMAS.Além da remodelação de todo o sistema de saneamento e abastecimento de água a obra vai também permitir o asfaltamento do piso, vai ser colocada nova iluminação, novos passeios e equipamentos exteriores. O presidente do município estima que até ao final de Abril de 2017 os trabalhos estejam concluídos. "Já falámos com os táxis, os operadores e os comerciantes da zona com vista a minimizar os constrangimentos. As obras vão também parar em três períodos: no Colete Encarnado, Feira de Outubro e em Dezembro, aquando do Natal, para não prejudicar os negócios de quem está nestas ruas", assegurou o edil. Para os moradores da rua Joaquim Pedro Monteiro a obra é vista com bons olhos. "Não me preocupam os impactos, espero que reparem tudo o que tem de ser reparado para acabar com os maus cheiros e às vezes a dificuldade que temos em que o esgoto possa escorrer", conta Felisbela Nunes a O MIRANTE. Para Alfredo Cruz, comerciante, a obra vai "causar problemas" mas acredita que se as coisas forem bem planeadas os benefícios serão maiores que as desvantagens. "Vamos finalmente ter aqui alcatrão, toda a gente detesta o empedrado. Está desalinhado, faz barulho e nos dias de chuva é muito escorregadio", defende.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo