Sociedade | 03-04-2016 01:12

Tempo e preço dos parquímetros de Vila Franca de Xira vão ser revistos

Manutenção, fiscalização e recolha dos equipamentos vai custar 43 mil euros.

O município de Vila Franca de Xira vai reanalisar os valores a pagar pelos condutores nos parquímetros espalhados pela cidade e admite também vir a equacionar aumentar os tempos máximos de estacionamento permitidos. A informação foi avançada pelo presidente da câmara, Alberto Mesquita (PS), durante a última reunião de câmara. O autarca só não informou quando é que a revisão avança mas é provável que aconteça ainda a tempo da próxima aprovação da tabela de taxas e licenças municipais. A actual tabela, recorde-se, estipula o valor de 53 cêntimos por hora, sendo que o tempo máximo de estacionamento é de duas horas e custa 1,06 euros. O assunto foi avançado durante a discussão de uma proposta de contratação de serviços de manutenção, assistência técnica, fiscalização e recolha dos 17 parquímetros existentes na cidade. A câmara vai gastar nesse compromisso plurianual uma verba de 43200 euros e o documento foi aprovado por unanimidade."Ter como limite máximo de estacionamento apenas duas horas é muito pouco para quem vai usar os serviços públicos. Há muita falta de estacionamento na cidade e agravou-se com o fecho do parque subterrâneo do Vila Franca Centro. Há pessoas que demoram mais de 45 minutos a estacionar. E depois a PSP é intransigente para com as pessoas que precisam de estacionar e não têm como", lamentou Helena de Jesus, vereadora da Coligação Novo Rumo.O presidente do município, Alberto Mesquita, discorda e garante que há estacionamento em quantidade. O problema é que toda a gente quer deixar o carro perto do local onde pretende ir. "Temos muito estacionamento em Vila Franca, não está é onde as pessoas querem. Há um parque muito grande na Quinta da Mina, que fica a 300 metros do centro da cidade. São cinco minutos a pé e tem sempre lugar", lembrou. Segundo o autarca o município está a trabalhar num plano de mobilidade que vai indicar caminhos para possíveis soluções. A prioridade é arranjar estacionamento para a zona do Bom Retiro, zona que Mesquita diz ser "muito carenciada" de estacionamento. "A construção de novos auto-silos não é algo que se venha a concretizar sem interesse de investidores privados, porque eles são muito onerosos e sem parceiros não iremos avançar", refere.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo