Sociedade | 21-04-2016 00:23

Juíza entende que é normal dizerem-se palavrões nos Bombeiros do Entroncamento

A juíza da Instância Local do Entroncamento considera que, apesar do uso de palavrões denotar uma falta de educação, é comum entre elementos das corporações de bombeiros o uso de impropérios, realçando que nos quartéis as pessoas são "normalmente de baixa instrução". A apreciação consta de uma decisão sobre um diferendo entre uma assistente administrativa dos Voluntários do Entroncamento e um bombeiro da mesma corporação. A funcionária processou o operacional por este ter, numa discussão, proferidas palavras obscenas, pedindo uma indemnização de perto de seis mil euros, mas o réu foi absolvido. O caso passou-se no dia 7 de Outubro de 2014 no quartel dos Bombeiros do Entroncamento e o julgamento foi agora concluído. O bombeiro e motorista da corporação Fernando Rodrigues disse a Conceição Faustino: "estás cá para f… esta casa. Não sei porque não podes facturar os transportes das altas que trago de Lisboa c…". * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo