Sociedade | 18-11-2016 16:16

Colocação de dois eleitos na Junta de Alverca continua a gerar polémica

Comunistas acusam Junta de Alverca de "interesses pessoais" e "clientelismo".

A decisão do executivo socialista de Afonso Costa em colocar dois eleitos da sua lista a meio tempo na Junta de Freguesia de Alverca a receber ordenados de 953,79 euros por mês continua a gerar polémica na cidade. Desta vez pela mão do Partido Comunista Português (PCP) que espalhou pela cidade um documento criticando a decisão e acusando a gestão de Afonso Costa de clientelismo e interesse pessoal.

"Com a nomeação destes dois eleitos a meio tempo fica claro que a não admissão de novos trabalhadores é uma opção única e exclusivamente política, que responsabiliza todo o executivo da junta, o seu presidente e em particular o Partido Socialista, que à custa de interesses pessoais e clientelismo partidário sacrifica a imagem da freguesia e a qualidade de vida dos seus habitantes", criticam os comunistas.

O PCP não coloca em causa a legalidade da decisão mas não deixa de considerar que, perante as exigências colocadas pela população, "a junta e o seu presidente respondem que não têm verbas que lhes permitam fazer a admissão de novos trabalhadores e que o governo não autoriza. Situação que não corresponde à verdade", lê-se no documento, afixado em vários locais de Alverca, Bom Sucesso e em Arcena.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo