Sociedade | 20-11-2016 14:03

Burocracia imposta às empresas só atrapalha os negócios

Burocracia imposta às empresas só atrapalha os negócios
ENTREVISTA

José Carlos Serrador é administrador da Emegás de Samora Correia.

A carga burocrática que ainda recai sobre muitas empresas continua a ser um problema que só atrapalha os negócios e ocupa os empresários. A opinião é de José Carlos Serrador, responsável da Emegás de Samora Correia, concelho de Benavente, empresa dedicada à venda e comercialização de gás.

"O maior problema das empresas pequenas é a burocracia, sobretudo no nosso ramo, temos sempre imensa papelada para preencher. Isso tira-me do sério, perder horas a fio com burocracias. Em vez da administração central cair em cima das empresas grandes só estrangula os retalhistas, os pequenos", lamenta o empresário.

José Carlos Serrador, 60 anos, diz que os seus principais valores de vida são a honestidade e a seriedade. O empresário dirige uma das primeiras lojas do país a vender de forma oficial o gás da Repsol. A Emegás tem 23 anos de actividade e foi reconhecida recentemente com o estatuto de colaboradora oficial daquela petrolífera. Apesar de ser o patrão, José não se vê como um homem de fato e gravata e gosta de trabalhar lado a lado com os seus empregados.

Nasceu em Samora Correia, onde ainda vive, e começou a trabalhar aos 17 anos como mecânico numa metalúrgica na cidade onde se produziam dumpers e chaimites. Ainda frequentou a Escola Alves Redol em Vila Franca de Xira, onde fez o nono ano. Serviu na Marinha em Vila Franca de Xira e não esconde alguma tristeza com o facto das instalações ali existentes terem encerrado portas.

* Entrevista completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo