Sociedade | 03-01-2017 11:56

Deputados despertam Governo para poluição no rio Nabão

Poluição pode estar a ser causada pelo mau funcionamento da ETAR de Seiça, no concelho de Ourém.

Depois dos parlamentares do PSD e da CDU, também os deputados do PS eleitos pelo distrito de Santarém questionaram o Governo sobre os “focos de poluição” que têm surgido no rio Nabão, em Tomar, nomeadamente sobre se foram identificados os responsáveis e que medidas vão ser tomadas. Numa pergunta entregue no Parlamento, os deputados Hugo Costa, António Gameiro e Idália Serrão questionam o Ministério do Ambiente sobre se tem conhecimento da situação detectada no rio.

Os deputados lembram que o rio Nabão nasce no concelho de Ansião, no distrito de Leiria, e desagua no rio Zêzere no concelho de Tomar, estando “intrinsecamente ligado” a esta cidade. “Nos últimos tempos têm sido visíveis vários focos de poluição no rio. Esta situação merece a preocupação da população de Tomar e dos seus autarcas, sendo uma causa transversal à sociedade tomarense”, escrevem, frisando que o Nabão “é parte integrante do cartão turístico de Tomar”.

A poluição no rio Nabão foi já alvo de perguntas ao Governo entregues em Dezembro pelos deputados eleitos pelo PSD e pelo deputado eleito pela CDU no distrito. Na sua pergunta, os deputados social-democratas Duarte Marques, Nuno Serra e Teresa Leal Coelho consideram a situação “um verdadeiro atentado que está a colocar em causa toda uma região”, questionando o Ministério do Ambiente sobre que informação possui sobre a qualidade ambiental do Nabão no concelho de Tomar, se conhece “as principais razões e origem da poluição” e que iniciativas está ou irá desenvolver para combater os problemas ambientais no rio.

Já o deputado comunista eleito por Santarém, António Filipe, questionou o Governo sobre os problemas que estão a ser provocados na freguesia da Sabacheira (Tomar) pelas águas residuais despejadas pela estação de tratamento de Seiça (Ourém), com impacto no Nabão. No seu requerimento, o deputado do PCP perguntava ao Ministério do Ambiente “se tem conhecimento dos danos ambientais provocados pelas descargas da ETAR de Seiça no rio Nabão, e que medidas tenciona tomar para que seja corrigida a situação existente, de modo a salvaguardar a qualidade de vida das populações afectadas”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo