Sociedade | 11-01-2017 19:36

Torres de vigilância de Vale de Judeus vão ser substituídas

Torres de vigilância de Vale de Judeus vão ser substituídas

As más condições das torres de vigilância já tinham motivado críticas do provedor de Justiça, que se afirmou indignado com a situação.

Já foram removidas as quatro torres de vigilância do Estabelecimento Prisional de Vale de Judeus, em Alcoentre, no concelho de Azambuja, que se encontravam bastante degradadas e vinham sendo objecto de queixas por parte dos guardas prisionais, associações profissionais e sindicatos. Segundo fonte do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional, as torres vão ser substituídas por duas estruturas em betão, embora ainda não se saiba quando vai ser efectuada essa operação que custará cerca de 170 mil euros.

A mesma fonte garante que a segurança no estabelecimento prisional nesta fase transitória não está descurada pois existem meios alternativos de vigilância no terreno, nomeadamente um sistema de video-vigilância entre outros. “Foi para já uma vitória dos trabalhadores que lutaram pelas suas condições de segurança e higiene no trabalho, e esperemos que as novas estruturas não demorem tanto como o tempo que levou até à retirada das que existiam”, disse o sindicalista, que pediu para não ser identificado.

As más condições das torres de vigilância de Vale de Judeus já tinham motivado críticas do provedor de Justiça, que se afirmou indignado com o estado de degradação dessas estruturas e disse que “a crise económica-financeira não pode justificar tudo”, conforme noticiámos em Maio de 2016.

Num relatório divulgado sobre uma visita que fez à prisão, em Fevereiro de 2016, José de Faria Costa afirmava que são “demasiado graves” algumas coisas que viu e acrescentava que não podia deixar de se indignar “com a inércia demonstrada perante o estado decrépito das torres de vigia”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Na quermesse das festas de Ulme
    Foto do Dia
    Durante os dias das festas de Ulme, um dos grupos que nunca parou foi o da quermesse. Entre canecas, pratos, chávenas de café, copos e panos de cozinha, tudo podia sair nas rifas vendidas no espaço assegurado por 12 jovens voluntários que ajudaram noite e dia para um objectivo comum: angariar fundos para a construção da sede da Sociedade Recreativa Ulmense.
    Foto do Dia | 25-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo