uma parceria com o Jornal Expresso
22/07/2017
30 anos do jornal o Mirante
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
Sociedade | 27-03-2017 18:10
Santarém vai evocar noite em que Salgueiro Maia mobilizou militares para a revolução
Evocação histórica, teatralizada, constitui um dos momentos centrais das comemorações dos 43 anos da “Revolução dos Cravos”.

Santarém vai recriar, na noite de 24 de Abril, os momentos que antecederam a partida da coluna chefiada pelo capitão Salgueiro Maia e que teve papel fundamental no derrube do regime no dia 25 de Abril de 1974.

A evocação histórica, teatralizada, constitui um dos momentos centrais das comemorações dos 43 anos da “Revolução dos Cravos”, que estão a ser preparadas pela Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril e pela Câmara de Santarém, e que têm outro “momento alto” no dia 7 com o concerto de Sérgio Godinho, celebrativo dos 30 anos da Associação José Afonso (AJA).

O espectáculo que está a ser preparado para a noite de 24 de Abril vai começar no Largo Infante Santo, junto à fachada da antiga Escola Prática de Cavalaria (EPC), sendo os espectadores convidados a que seguir um narrador os levará aos vários espaços do antigo quartel para assistir a “alguns momentos significativos” daquela noite, disse Berta Pereira, membro da Comissão para as Comemorações Populares do 25 de Abril em Santarém.

“Esta é a madrugada que eu esperava” é feito a partir de um texto escrito pelo coronel Correia Bernardo, na altura capitão, “também ele envolvido em toda a movimentação que aconteceu na EPC antes da saída do Salgueiro Maia”, disse.

Correia Bernardo, que há dois anos lançou o livro “Santarém uma Cidade que faz História – 25 de Abril de 1974”, escreveu, para esta evocação, um texto “contando as suas memórias do que se passou naquela noite e que são reveladoras da rebelião, do nervosismo de quem ia participar naquele movimento”.

Para este espectáculo, a organização tem vindo a apelar à participação de voluntários a figurantes, de preferência homens, porque, “naquela noite, havia muita gente envolvida"(1.200 homens), já que as mulheres não eram militares, disse Berta Pereira, desafiando os jovens a aparecerem às terças ou às quintas-feiras na Incubadora d'Artes, onde decorrem os ensaios.

O programa das comemorações do 25 de Abril em Santarém arranca no próximo sábado à noite, no Convento de S. Francisco, com uma iniciativa realizada com todas as freguesias do concelho, o “AbrilArte”, espectáculo pluridisciplinar, que envolve expressões artísticas como música, dança, poesia e teatro, afirma uma nota da autarquia.

Na segunda-feira de manhã vai acontecer uma homenagem a Salgueiro Maia, assinalando a data do seu falecimento, com a participação de alunos de escolas do primeiro ciclo do concelho, seguindo-se no sábado o espetáculo “Zeca Afonso: 30 Anos da AJA”, com Sérgio Godinho, Nuno Rafael e João Cardoso, que terá na primeira parte um “tributo” com Catarina Anacleto (violoncelo) e Márcio Pinto (marimbas).

Para dia 14 está agendado o concerto “Novo Abril”, com bandas de jovens músicos - Sr. Doutor, Nooj, Surreal Prisma, Cicuta -, no Fórum Mário Viegas, para dia 21 a apresentação da peça “O Punho”, pelo Centro Dramático Bernardo Santareno, no Teatro Sá da Bandeira, e para dia 22 teatro para crianças pela associação “Aqui Há Gato”.

No dia 25 de abril realizar-se-á uma cerimónia evocativa do 25 de Abril junto à estátua de Salgueiro Maia, seguindo-se um almoço-convívio na antiga EPC e um encontro de coros – com a participação de Coral de Gulpilhares, Coro Legatto de Mira e Orfeão de Arouca -, na Igreja da Graça.

A apresentação do livro “No Limite da Dor”, de Ana Aranha e Carlos Ademar, acompanhado por testemunhos de ex-presos políticos, acontecerá no dia 27, no Fórum Actor Mário Viegas, encerrando as comemorações dia 29 com o colóquio “Abril – Presente e Futuro”, com a presença de António Sampaio da Nóvoa.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...
    Edição Semanal
    Edição nº 1308
    19-07-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1308
    19-07-2017
    Capa Médio Tejo