Sociedade | 19-04-2017 16:30

VFX corta apoios às companhias profissionais de teatro

No global há um aumento das verbas para o teatro em 20 mil euros.

Os dois grupos de teatro profissional do concelho de Vila Franca de Xira – o Cegada de Alverca e a Inestética do Sobralinho – vão receber menos verbas este ano do Programa de Apoio ao Movimento Associativo (PAMA), implementado pelo município e que apoia com um milhão de euros 124 associações do concelho.

Dos 60 mil euros que a câmara vai dar aos oito grupos de teatro do concelho, o Cegada receberá 8400 euros (menos 60 por cento que no ano anterior) e a Inestética 10 975 euros, menos 46 por cento que em 2016.

No quadro de apoio municipal deste ano há companhias de teatro amador a receber mais verbas que o teatro profissional, como acontece, por exemplo, com o Grémio Dramático Povoense (10 525 euros). Na lista dos grupos que mais receberão seguem-se o grupo Esteiros da Euterpe Alhandrense (9800 euros), Gruta Forte do Forte da Casa (7650 euros), Acto Certo Associação Cultural (5425 euros) e o Teatro do Zero, com 4475 euros.

Por último, o grupo que menos receberá no concelho será o Artifontinhas, de Alverca, com 2750 euros. Este ano houve um incremento nas verbas de apoio ao teatro, que passaram dos 40 mil para os 60 mil euros globais.

O município justificou a decisão de cortar nos apoios aos grupos profissionais com uma questão de “equidade” e de “igualdade de oportunidades” para com os restantes grupos do concelho, não tendo diferenciado o teatro amador do profissional.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...
    Caipirinhas para todos os gostos
    Foto do Dia
    As caipirinhas são a aposta há oito anos da van food “Caipi Joca’s”, de Carlos Travessa, um dos presentes na 4.ª edição do Festival Reverence que decorreu nos dias 8 e 9 de Setembro, pela primeira vez, na Ribeira de Santarém. A residir em Salvaterra de Magos, o empreendedor de 38 anos começou o negócio juntamente a sua sócia, Josélia Godinho, de 33 anos, depois de ter tido muito sucesso com o seu bar exclusivo de caipirinhas nas festas de Salvaterra de Magos. O nome surgiu de uma junção de “Caipi” (caipirinhas), “Jo” (Josélia) e “Ca” (Carlos). Entre as várias caipirinhas à disposição, a que está no topo das preferências é a tradicional com cachaça.
    Foto do Dia | 22-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo