uma parceria com o Jornal Expresso
26/05/2017
30 anos do jornal o Mirante
Assine O Mirante e receba o jornal em casa
Sociedade | 03-05-2017 18:35
Digressão do “Portugal Sou Eu” pela região para defender o que é nosso
Acção de divulgando da iniciativa de identificação e certificação da produção lusa.

Sensibilizar os consumidores para os produtos nacionais e estimular que outras empresas se interessem pelo programa “Portugal Sou Eu”. Estes são os dois objectivos da digressão nacional que, depois de Lisboa e do Porto, se iniciou em Santarém na terça-feira, 2 de Maio, e que vai percorrer mais de 1800 quilómetros por 16 cidades, divulgando a iniciativa de identificação e certificação da produção lusa.

A iniciativa decorreu no Jardim da Liberdade e começou, pelas 10h00, com o espaço de debate “À conversa com...”. Aos vários jovens que estiveram presentes, a directora geral da AIP (Associação Industrial Portuguesa), Norma Rodrigues, explicou os objectivos do programa e a importância da estratégia de marketing para que chegue a todos os consumidores. A ideia é: “se comprarmos um produto português estamos a ajudar as empresas instaladas em Portugal, a ajudar a estabilizar ou a criar novos empregos e contribuir para a nossa competitividade”.

Norma Rodrigues aproveitou ainda para falar sobre os critérios para a atribuição do Selo “Portugal Sou Eu” aos produtos e serviços, indicando que não será só a incorporação nacional, mas também as marcas e patentes, emprego nacional e valor acrescentado nacional da empresa.

O presidente do Agrocluster Ribatejo, Carlos Lopes de Sousa, não tem dúvidas que existe “uma falta de autoestima do povo em relação à nossa terra” e isso só se resolve “valorizando aquilo que é nosso, não só por razões relacionadas pela economia, mas também porque estamos a defender a nossa qualidade”.

O painel de abertura contou, para além das intervenções de directora geral da AIP e do presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves, com as intervenções de Mónica Venda, da Vegan Cheesy, com o tema “Empreender no Ribatejo estimulando a Produção em Portugal” e do presidente do Agrocluster Ribatejo sobre “Agroindústria no Ribatejo, uma fileira com elevada incorporação nacional”.

Seguiu-se, pelas 11h00, uma sessão de activação da marca “Portugal Sou Eu”, onde, entre outras actividades, foram apresentados alguns produtos regionais que utilizam este selo, como é o caso da Mundiarroz, Casa Cadaval, Bee Iellow e Herdade da Fragaria. Após o almoço, pelas 14h00, houve uma prova de degustação com produtos da Bonduelle.

A Nersant apoiou a iniciativa em termos logísticos e de divulgação.

Comentários
Mais Notícias
    A carregar...
    Edição Semanal
    Edição nº 1300
    25-05-2017
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1300
    25-05-2017
    Capa Vale Tejo