Sociedade | 25-05-2017 09:26

Professora agredida por vizinha no interior do posto da GNR de Alpiarça

Professora agredida por vizinha no interior do posto da GNR de Alpiarça

Guarda era o único que estava no posto e mandou vítima e agressor resolverem situação na rua.

Uma professora, proprietária de um centro de estudos situado a 150 metros da GNR de Alpiarça, foi agredida dentro do posto à frente do único militar de serviço nas instalações, que se limitou a mandar a vítima e o agressor para a rua.

A situação ocorreu no dia 15 de Maio quando Marina Maltez se dirigiu ao posto para apresentar queixa de um casal vizinho, que alega, tinha o carro a bloquer a saída da viatura do centro de estudos, estacionado num lugar criado pela câmara para o efeito. O homem foi atrás da professora para o posto e de ânimos exaltados acabou por lhe provocar escoriações num braço.

O comando territorial da GNR diz que a Guarda não recusa receber queixas mas que no caso em que esteja apenas um militar no posto e entrem nas instalações várias pessoas, este por razões de segurança tem de chamar a patrulha.

"O se faz nestes momentos é pedir que saiam do posto e o guarda de serviço chama a patrulha", explica a Guarda Nacional Republicana. A vítima acabou por apresentar queixa no posto da GNR da Golegã, onde reside.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Médio Tejo