Sociedade | 26-05-2017 12:21

Muralhas de Santarém estão a precisar de cuidados

Muralhas de Santarém estão a precisar de cuidados

Município diz que tem alertado a entidade responsável mas sem efeito.

O Estado não tem zelado, como lhe compete, pela estabilidade e conservação dos troços de muralhas de Santarém ainda existentes e dispersos pela cidade. A constatação foi deixada na última reunião do executivo da Câmara de Santarém pelo presidente Ricardo Gonçalves (PSD) e pelo vereador Luís Farinha (PSD). Esse património pertence à Direcção Geral do Tesouro e Finanças, organismo do Ministério das Finanças, como sublinhou o presidente do município. E não tem sido por falta de avisos que essa entidade não actua, nomeadamente em zonas onde existe risco de ruína.

“Temos alertado tanto a Direcção Geral do Património Cultural como a Direcção Geral do Tesouro e Finanças com registos fotográficos das situações mais problemáticas”, declarou Ricardo Gonçalves, acrescentando que estão também a fazer um levantamento de todos os problemas - “um trabalho minucioso” - para posteriormente entregar à tutela.

O assunto foi levantado pelo vereador Celso Braz (PS), que voltou a referir a existência de troços com brechas e a ameaçar ruína, designadamente junto à Travessa das Figueiras - situação que já tinha denunciado há algum tempo – e na Rua Pedro Canavarro, perguntando se existe algum plano de intervenção previsto. Recorde-se que, no dia 5 de Maio, verificou-se um desprendimento de pedras do resto de muralha fernandina existente na movimentada Rua Pedro Canavarro, no centro histórico da cidade.

* Notícia completa na próxima edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1321
    18-10-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1321
    18-10-2017
    Capa Médio Tejo