Sociedade | 02-06-2017 11:40

Cemitério de Ourém está a ficar lotado e ainda não existem soluções para o problema

Presidente da câmara considera que cidade não tem capacidade para um segundo cemitério e defende ampliação do actual. Oposição tem outra alternativa.

O cemitério de Ourém vai ficar lotado nos próximos anos e precisa de ser alargado. O assunto foi abordado na última sessão da assembleia municipal, já depois de ter sido discutido em sessão camarária. O presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca (PS), considera que a cidade não tem capacidade para um segundo cemitério e defende a ampliação do actual.

“Ao lado do cemitério há um terreno que pertence à AMBO [Academia de Música Banda de Ourém] e foi-nos feita uma proposta oficial para que a câmara municipal comprasse o terreno, por cerca de 310 mil euros, e com esse dinheiro a AMBO iria comprar o edifício ao lado da Ourearte para transformar na sua sede. Esta parece-me uma boa estratégia mas é só a minha opinião. Temos que discutir este assunto e tomar uma decisão”, disse o autarca.

O assunto já tinha sido falado em sessão camarária, onde os vereadores da Coligação Ourém Sempre (PSD/CDS) referiram que não são contra a ampliação do cemitério naquele local mas não com a solução referida pelo presidente do município. “Não concordamos é que a ampliação do cemitério seja feita no meio de casas de habitação e muito menos pelo preço que a câmara municipal se propôs a comprar. Defendemos a ampliação do cemitério para outra zona, onde existe um terreno particular com árvores e onde não existem habitações. Se tal não for possível, teremos que pensar na construção de um segundo cemitério na cidade”, afirmou o vereador Luís Albuquerque (PSD) em sessão camarária.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo