Sociedade | 05-06-2017 00:24

Visita guiada recua ao tempo dos fortes das Linhas de Torres

Visita guiada recua ao tempo dos fortes das Linhas de Torres

Iniciativa foi organizada pelo Núcleo Museológico de Alverca numa visita à localidade do Forte da Casa.

Os 152 fortes e a muralha que constituíam a correnteza das Linhas de Torres Vedras há muito que desapareceram. Foram idealizadas pelo general inglês Wellington com base nos trabalhos desenvolvidos por José Maria das Neves Costa e foram construídos entre 1809 e 1811 no mais absoluto secretismo. Foram criados para protegerem Portugal da 3ª Invasão Napoleónica, comandada pelo general André Masséna, durante a Guerra Peninsular, e conseguiram alcançar o objectivo de salvaguardar a cidade de Lisboa.

As Linhas de Torres Vedras estendiam-se do Forte da Casa a Torres Vedras, abarcando 46 quilómetros e seis municípios: Vila Franca de Xira, Arruda dos Vinhos, Loures, Mafra, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras. Os seis uniram-se na Plataforma Intermunicipal para as Linhas de Torres (PILT), da qual nasceu o projecto Rota Histórica das Linhas de Torres, que tem como principal objectivo a recuperação, valorização e divulgação das fortificações militares. A Rota foi concebida em 2006 e foi co-financiada pelo Mecanismo Financeiro do Espaço Europeu, destacando-se os fundos doados pela Islândia, Liechtenstein e Noruega.

É no âmbito da divulgação para a recuperação e valorização dos antigos fortes e muralha e do passado histórico destes municípios que se estão a realizar uma série de visitas guiadas aos espaços onde antigamente existiam os fortes e a muralha.

* Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo