Sociedade | 08-06-2017 12:22

ETAR da Fabrióleo está legal e empresa pede mais vigilância ambiental das autoridades

ETAR da Fabrióleo está legal e empresa pede mais vigilância ambiental das autoridades

Empresa de Torres Novas disponível para pagar parte de colector público.

A Fabrióleo, de Torres Novas, que tem sido acusada de poluição, tem a sua Estação de Tratamento de Águas Residuais biológica em situação legal. A confirmação é dada por sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria. “Está provado que a arguida dia 30 de Setembro apresentou um requerimento de legalização da obra ilegal e, que à data de hoje, a obra já está legalizada com licença”, refere a sentença.

A empresa, em comunicado, realça que “nos últimos anos investiu 3,5 milhões de euros em requalificação ambiental, tendo construído a ETAR Biológica, na sequência de recomendações dadas pelo IAPMEI”. A Fabrióleo aproveita para apelar às “autoridades locais” para que avancem “rapidamente com a construção do coletor municipal na zona das ribeiras da Boa Água e Serradinho, não só para permitir às empresas da zona uma ligação à ETAR de Torres Novas, mas também para promover o saneamento básico na região”. A empresa diz que está disponível para comparticipar financeiramente na construção deste coletor.

Numa perspectiva de contribuir para a melhoria ambiental da zona, a empresa pede que se aumente a vigilância e se investiguem, “de forma isenta, as reais fontes poluidoras dos recursos hídricos da região”. A Fabrióleo sublinha que “apesar das várias denúncias feitas pela Fabrióleo às autoridades competentes, estas descargas ilegais continuam a acontecer, sem que os verdadeiros agentes poluidores sejam identificados”.

No comunicado a empresa esclarece que “a Inspeção-Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território (IGAMAOT) decidiu arquivar os processos relativos a duas contraordenações ambientais muito graves, por poluição das águas superficiais, que recaiam sobre a Fabrióleo”.

A empresa pediu entretanto ao Departamento de Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa um estudo rigoroso e isento sobre a bacia da Ribeira da Água, assim como o mapeamento de todas as fontes poluentes da zona. “A primeira parte do estudo já foi publicada em Janeiro, tendo os resultados deste trabalho científico concluído que “a Fabrióleo terá uma influência mínima na poluição dos referidos cursos de água”.

A Fabrióleo é uma empresa especializada na produção de óleos vegetais e na reciclagem de óleos provenientes da restauração.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Médio Tejo