Sociedade | 15-06-2017 00:39

Suspeito da morte de taxista condenado a seis anos de prisão por burla de 242 mil euros

Arguido, que está preso preventivamente, enganou idoso de Torres Novas com falsas vendas de imóveis.

Um dos suspeitos da morte de um taxista em Torres Novas, no dia 1 de Maio, foi condenado a seis anos de prisão efectiva por ter burlado um idoso em 242 mil euros. O homem, natural de Montalvo, Constância, residente em Vila Nova da Barquinha e actualmente em prisão preventiva nas Caldas da Rainha, a aguardar o julgamento do homicídio, já era reincidente em crimes de burla, segundo consta da decisão do Tribunal de Santarém.

O arguido, de 56 anos, tinha saído há pouco tempo da prisão, por outros crimes, quando foi detido pela morte do taxista António Maria, de 69 anos, que fazia serviço na praça do Entroncamento, e que foi encontrado com sinais de agressões violentas, tendo sido mesmo degolado.

No crime de burla, segundo a decisão do colectivo de juízes, o arguido conseguiu extorquir em 2009 e 2010 cerca de 242 mil euros a um residente em Torres Novas. A vítima, na altura com 74 anos, ficou viúvo e debilitado psicologicamente, tendo o condenado aproveitado esse facto para o enganar com falsas promessas de venda de imóveis que o idoso possuía no Entroncamento.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo