Sociedade | 28-06-2017 00:00

“Negócio do combate aos incêndios é mais importante que a sua prevenção”

“Negócio do combate aos incêndios é mais importante que a sua prevenção”

Executivo municipal de Tomar discutiu importância de proprietários limparem terrenos para evitar tragédias como a de Pedrógão Grande.

Grande parte do tempo da última sessão camarária do executivo municipal de Tomar foi a debater o incêndio em Pedrógão Grande que matou 64 pessoas e a necessidade de repensar a floresta também no concelho de Tomar.

O vereador Pedro Marques, do movimento Independentes por Tomar (IpT), considera que a questão dos incêndios é um problema do país e que é necessário identificar os problemas e legislar o que for possível.

“Os proprietários dos terrenos têm que ser responsabilizados por não limparem os terrenos. Infelizmente, é mais importante o negócio do combate aos fogos do que o negócio da prevenção. Tem que haver vontade política para resolver este problema”, afirmou Pedro Marques.

A presidente do município, Anabela Freitas (PS), concordou e lamentou que “não há interesse económico para que a aposta seja feita na prevenção e não no combate ao incêndios”. A autarca acrescenta que “o caminho é legislar e dar poderes para se poder intervir em propriedade privada”.

O vereador João Tenreiro (PSD) referiu que o que aconteceu em Pedrógrão Grande pode acontecer em Tomar e defende a necessidade de se criar um “condomínio” dos produtores florestais para que os terrenos sejam limpos com frequência para evitar situações destas.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo