Sociedade | 02-07-2017 16:18

“Rituais de Bravura” é um livro para se aprender a gostar de forcados e toiros

“Rituais de Bravura” é um livro para se aprender a gostar de forcados e toiros

Obra celebra os 85 anos do grupo de Forcados Amadores de VFX.

“Este livro é mais para as pessoas que não gostam de forcados e toiros do que para as que gostam”, resumiu Nuno Moura, autor da obra “Rituais de Bravura”, apresentada na véspera do arranque da 85ª edição do Colete Encarnado.

A sessão de apresentação do livro decorreu no espaço no antigo restaurante “Redondel”, na Praça de Toiros Palha Blanco, em Vila Franca de Xira, local que o presidente da câmara, Alberto Mesquita, considerou “muitíssimo simbólico” e que quer que passe a ser usado para mais tertúlias, colóquios e eventos ligados à tauromaquia.

Nuno Moura é o fotógrafo das imagens a preto e branco que preenchem as páginas do livro e já venceu em Vila Franca de Xira o prémio da Bienal de Fotografia. Começou a fotografar o grupo de forcados, encabeçado por Ricardo Castelo, há perto de oito anos, nas várias vezes em que veio à cidade acompanhado de amigos, colegas de profissão e curiosos do mundo da tauromaquia, e deixou uma memória que o marcou:

“Uma vez vim acompanhado de um casal de cirurgiões plásticos brasileiros. Ele tinha imensa curiosidade pela festa brava e ela vinha com um daqueles ódios que se ganham por arrasto, que também são frequentes na sociedade portuguesa. Passámos o dia em Vila Franca de Xira, assistimos a uma corrida e no fim a cirurgiã disse-me: ‘Provavelmente não voltarei a nenhuma corrida de toiros, mas também nunca mais direi mal da tauromaquia’”.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...
    Dançarinas ribatejanas entre as melhores da Europa
    Foto do Dia
    As atletas do Coreo Dance Project, de Benavente, e da ODAC - Oficina de Artes de Coruche alcançaram o quarto lugar na grande final europeia de dança, realizada no Palácio de Congressos de Paris. As atletas têm entre os 7 e os 24 anos e para a responsável do grupo, Marta Salsinha, foi “uma experiência incrível” poder competir com os maiores e melhores bailarinos e coreógrafos da Europa. Uma prestação que deixa orgulhosos os atletas mas também as localidades de Benavente e Coruche. Na comitiva, além dos 25 bailarinos, seguiram também pais e amigos dos atletas. Entretanto, Marta Salsinha está entre os oito nomeados para a categoria de melhor coreógrafo de estilo livre e contemporâneo de 2017, nos Prémios Internacionais Duende que distinguem o que de melhor se faz na dança em Portugal, Espanha, Gibraltar e França.
    Foto do Dia | 24-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo