Sociedade | 06-07-2017 13:00

Vila Franca de Xira aposta no arrendamento a preços controlados para jovens

Objectivo é também atrair e fixar jovens para as zonas centrais da cidade

A Câmara de Vila Franca de Xira vai reabilitar as antigas instalações municipais da galeria e dos serviços sociais, situadas na avenida Pedro Victor e na rua Almirante Cândido dos Reis, para servirem de habitação destinada ao arrendamento jovem.


A informação é avançada pelo município em comunicado e está integrada na já anunciada estratégia de reabilitação urbana delineada pelo município, no âmbito da regeneração urbana do núcleo antigo de Vila Franca de Xira.

Atrair e fixar residentes jovens, contrariando a tendência de desertificação e envelhecimento da população no núcleo histórico de Vila Franca de Xira é um dos objectivos da medida. Localizados no centro da malha urbana da cidade, a antiga galeria que confina com dois arruamentos, a avenida Pedro Victor e a rua Almirante Cândido dos Reis, bem como os Serviços Sociais Municipais que funcionavam na Avenida Pedro Vitor, “reúnem as condições que a autarquia entende como potenciais para promoção de habitação municipal jovem, com renda convencionada”, explica a câmara.


A medida é há muito esperada pelos jovens já que o preço das rendas para habitação na cidade, periférica à capital Lisboa, é bastante elevada, havendo apartamentos com tipologia T1 (um quarto, sala, cozinha e casa de banho) a rondar os 450 euros. Em desenvolvimento está o procedimento contratual para a adjudicação e elaboração do projecto de arquitectura e especialidades para estas reabilitações.

* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...
    Caipirinhas para todos os gostos
    Foto do Dia
    As caipirinhas são a aposta há oito anos da van food “Caipi Joca’s”, de Carlos Travessa, um dos presentes na 4.ª edição do Festival Reverence que decorreu nos dias 8 e 9 de Setembro, pela primeira vez, na Ribeira de Santarém. A residir em Salvaterra de Magos, o empreendedor de 38 anos começou o negócio juntamente a sua sócia, Josélia Godinho, de 33 anos, depois de ter tido muito sucesso com o seu bar exclusivo de caipirinhas nas festas de Salvaterra de Magos. O nome surgiu de uma junção de “Caipi” (caipirinhas), “Jo” (Josélia) e “Ca” (Carlos). Entre as várias caipirinhas à disposição, a que está no topo das preferências é a tradicional com cachaça.
    Foto do Dia | 22-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo