Sociedade | 12-07-2017 23:17

Em Arcena há uma “bomba relógio” que pode explodir a qualquer momento

Biomassa acumulada do abate de centenas de pinheiros no ano passado continua por remover e potencia risco de incêndio.

Na sequência do incêndio de Pedrógão Grande, vários autarcas das diferentes assembleias de freguesia do concelho de Vila Franca de Xira alertaram para várias situações de potencial risco abrangendo áreas florestais do concelho em zonas que não são limpas há anos.


Uma das mais preocupantes é a de Alverca e Sobralinho, onde o ano passado foram cortados 500 pinheiros no alto de Arcena. Na altura, a empresa responsável pelo abate justificou que o mesmo, numa área de sete hectares, visava precisamente reduzir o risco de incêndio e criar acessos para os meios de socorro, caso fossem necessários. “O problema é que toda essa biomassa ficou no local depois de ser arrancada e isso hoje constitui um grande perigo. Alguma coisa deveria ser feita para reduzir o risco de incêndio”, alertou Carlos Gonçalves, da CDU, na última sessão da Assembleia de Freguesia de Alverca.

* MAIS PORMENORES NA EDIÇÃO SEMANAL EM PAPEL

Mais Notícias

    A carregar...
    Na quermesse das festas de Ulme
    Foto do Dia
    Durante os dias das festas de Ulme, um dos grupos que nunca parou foi o da quermesse. Entre canecas, pratos, chávenas de café, copos e panos de cozinha, tudo podia sair nas rifas vendidas no espaço assegurado por 12 jovens voluntários que ajudaram noite e dia para um objectivo comum: angariar fundos para a construção da sede da Sociedade Recreativa Ulmense.
    Foto do Dia | 25-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo