Sociedade | 05-08-2017 03:55

Incêndio no Sardoal "foi agarrado" ao final da noite

Incêndio no Sardoal "foi agarrado" ao final da noite

Miguel Borges manifestou "confiança" por existirem "factores favoráveis" ao combate, como um "grande número de meios" e, com o cair da noite, a "descida das temperaturas e o aumento da humidade" no local.

O incêndio que lavra desde a tarde de sexta-feira em Cabeça das Mós, Sardoal, foi "agarrado" ao final da noite estando os bombeiros a combater frentes de incêndios que "continuam a ceder" aos meios no terreno.



Às 00h00, a partir do posto de comando instalado em Cabeça das Mós, o presidente da Câmara de Sardoal, município do distrito de Santarém, disse que "confirmaram-se as melhores previsões, as coisas estão controladas e o fogo está agarrado", tendo feito notar que os bombeiros no terreno vão ter ainda "muito trabalho pela frente em termos de fechar a ocorrência e debelar eventuais reacendimentos".



Miguel Borges, para quem "tudo se conjuga" para que o fogo seja controlado rapidamente, lembrou um combate "complicado, principalmente pelo vento, pelos reacendimentos, e proximidade de habitações", durante a tarde, tendo manifestado a "confiança" por existirem "factores favoráveis" ao combate, como um "grande número de meios" e, com o cair da noite, a "descida das temperaturas e o aumento da humidade" no local.


Perspectivas corroboradas por Patrícia Gaspar, adjunta nacional de operações da Protecção Civil, que havia afirmado à Lusa, às 21h30 de sexta-feira, que o fogo estava "a começar a ceder aos meios, nos vários sectores".



Segundo aquela responsável, neste incêndio que lavra em zona de pinhal e com "muitas pequenas povoações e habitações dispersas" na mancha florestal, "não foi necessário proceder à evacuação de nenhuma aldeia", tendo realçado, no entanto, a necessidade de continuar a "fazer protecção a povoações dispersas em Cabeça das Mós, Mouriscas, onde ardeu um barracão de arrumos, Cabrais, Pinheiro e Casal Vares", algumas das quais já no concelho de Abrantes.



"O combate vai continuar durante a madrugada e a previsão é que o vento acalme, pelo que as perspectivas são favoráveis", disse, na ocasião, aquela responsável da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).



Às 03h54, segundo o ‘site’ da ANPC, o incêndio estava em fase de conclusão e estava a ser combatido por 366 operacionais, apoiados por 113 viaturas.



Segundo a ANPC, às 00:11, continuavam cortadas ao trânsito a EM 1243, em Entrevinhas, a EN 358 - Cruzamento de Valhascos, e a EN 1220 - Entrada de Entre Serras.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo