Sociedade | 11-08-2017 13:20

Combate evolui de forma favorável em Abrantes com uma frente activa

1 / 18
Combate às chamas em Abrantes
2 / 18
Combate às chamas em Abrantes
3 / 18
Combate às chamas em Abrantes
4 / 18
Combate às chamas em Abrantes
5 / 18
Combate às chamas em Abrantes
6 / 18
Combate às chamas em Abrantes
7 / 18
Combate às chamas em Abrantes
8 / 18
Combate às chamas em Abrantes
9 / 18
Combate às chamas em Abrantes
10 / 18
Combate às chamas em Abrantes
11 / 18
Combate às chamas em Abrantes
12 / 18
Combate às chamas em Abrantes
13 / 18
Combate às chamas em Abrantes
14 / 18
Combate às chamas em Abrantes
15 / 18
Combate às chamas em Abrantes
16 / 18
Combate às chamas em Abrantes
17 / 18
Combate às chamas em Abrantes
18 / 18
Combate às chamas em Abrantes

Segundo a presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, "não há situações de perigo" para pessoas ou habitações.

Uma frente de fogo continuava activa cerca das 12h00 de hoje em Abrantes, no incêndio que deflagrou em Aldeia do Mato, estando a evoluir favoravelmente e em direcção a uma área queimada, segundo a presidente do município.

Maria do Céu Albuquerque disse que o combate "está a evoluir favoravelmente, mantendo uma frente activa", tendo realçado, no entanto, que "o vento está a empurrar as chamas para uma área já queimada".

Segundo disse a presidente da Câmara de Abrantes, no distrito de Santarém, "não há situações de perigo" para pessoas ou habitações, tendo perspetivado que, "a manterem-se as actuais condições, o fogo pode entrar em resolução dentro de poucas horas".

Hoje de manhã, a autarca tinha referido que a frente activa estava "na zona da Pucariça", freguesia de Rio de Moinhos, tendo afirmado que a situação estava "controlada, embora com alguns reacendimentos, e muito trabalho de rescaldo e consolidação".

No decurso deste incêndio, que deflagrou às 18h14 de quarta-feira, uma habitação ardeu totalmente na localidade de Aldeia do Mato, tendo a família, de cinco pessoas, sido realojada na casa paroquial local.

Seis aldeias (Medroa, Braçal, Amoreira, Pucariça, Aldeia do Mato e Carreira do Mato) foram evacuadas parcialmente, tendo cerca de 50 pessoas sido transferidas para locais mais seguros, entre elas, cerca de 25, para o Regimento de Apoio Militar de Emergência" (RAME), no Quartel Militar de Abrantes.

O fogo chegou a estar "dentro da cidade", mas já "não existe qualquer perigo", reforçou.

Há a registar, segundo a autarca, 16 feridos ligeiros, devido a pequenas queimaduras e inalação de fumo.

Até ao momento, o perímetro atingido "é de cerca de cinco mil hectares, não sendo a totalidade atingida pelo fogo".

O incêndio que lavra na zona de Abrantes, no distrito de Santarém, desde quarta-feira, levou ao corte da Autoestrada da Beira Interior (A23) em ambos os sentidos, mas a circulação foi restabelecida às 23h05.

Segundo a página da ANPC, às 12:15 de hoje, o incêndio continuava "activo, com uma frente em povoamento florestal".

Estão cortadas ao trânsito diversas vias, como a Estrada Nacional (EN) 3, a EN 358, a Estrada Municipal (EM) 544, e a EM 1212-1.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1321
    18-10-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1321
    18-10-2017
    Capa Médio Tejo