Sociedade | 16-08-2017 23:26

Aplicam-lhe uma multa sempre que denuncia uma obra ilegal

Aplicam-lhe uma multa sempre que denuncia uma obra ilegal

Caso passa-se em Vilar dos Prazeres, concelho de Ourém.

Joaquim Soares anda há vários anos a alertar a Câmara de Ourém que a empresa situada num terreno contíguo ao seu, em Vilar dos Prazeres, continua a funcionar apesar dos pavilhões que circundam a sua casa terem sido construídos ilegalmente. A situação é do conhecimento do município, mas, apesar da obra ter sido embargada em 2015 pela autarquia, a empresa continua a funcionar diariamente. E sempre que Joaquim Soares se queixou à câmara municipal desta situação foi multado pela autarquia por supostas irregularidades na sua moradia.

“A primeira vez multaram-me em 2800 euros quando foram lá a casa uns fiscais da câmara e disseram-me que eu tinha que ter as janelas em losango e elas são rectangulares. Mas a minha casa foi construída há 28 anos e a vistoria foi lá na altura e não houve problema. Agora é que decidiram multar-me. A segunda multa foi mais recente. Depois de ter reunido com o vice-presidente da câmara, Nazareno do Carmo, onde voltei a queixar-me da ilegalidade da empresa, uns dias depois recebi uma multa de 600 euros para pagar onde alegam que, como tenho máquinas de carpintaria na cave, utilizo este espaço para carpintaria, mas isso não é verdade”, afirmou Joaquim Soares a O MIRANTE.

Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo