Sociedade | 19-08-2017 12:12

Felismina, a verdadeira santa de Samora Correia

Felismina, a verdadeira santa de Samora Correia

É o braço-direito do Padre Heliodoro na Igreja de Samora Correia. Mantém as contas em dia, organiza as procissões, orienta os transportadores dos andores, ensaia o grupo coral e toca órgão.

Devota a Deus, querida dos samorenses, homenageada com uma medalha de mérito, ensaiadora do coro e organista da Igreja, fundadora da Cáritas de Samora Correia, compositora de muitos temas da banda da Sociedade Filarmónica União Samorense (SFUS), nascida, criada, casada e vivida na freguesia: assim é Felismina Carvalho Pederneira, a verdadeira santa padroeira de Samora Correia.

Aos 82 anos, após um AVC que lhe afectou a audição e ainda a sofrer de osteoporose, é a rainha do órgão da Igreja Matriz, que toca desde os 16 anos. Todos os domingos quem queira pode vê-la tocar sob o olhar terno do padre Heliodoro Nuno, não fosse ela a sua mais-valia. É ela que orienta as contas da Igreja e que convida grande parte dos transportadores dos andores e figuras em cada procissão. Tem um caderno de capa azul, simples mas de valor inestimável, onde aponta todos os anos os nomes dos transportadores e as figuras que vão levar em cada dia, para que nada lhe escape.

*Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo