Sociedade | 05-09-2017 11:30

Vítima de acidente grave agradece salvamento aos bombeiros de Almeirim

Vítima de acidente grave agradece salvamento aos bombeiros de Almeirim

Rute Reis despistou-se na A13 e esteve encarcerada durante cerca de quatro horas. Sofreu várias lesões e está internada no Hospital Vila Franca de Xira.

Passada uma semana de ter sofrido um grave acidente na A13, na zona de Samora Correia, na madrugada de 21 de Agosto, Rute Reis decidiu publicar uma carta de agradecimento aos elementos dos Bombeiros Voluntários de Almeirim que a socorreram. Um gesto simples e espontâneo que muito tem dado que falar. “Obrigado é pouco para vos agradecer o facto de estar viva e a recuperar bem”, foi o que escreveu na sua página do Facebook a vítima de 40 anos, que ainda se encontra internada no Hospital Vila Franca de Xira.

Rute Reis trabalha no café dos Bombeiros Voluntários de Alenquer e conta a O MIRANTE como aconteceu a acidente e porque decidiu deixar uma mensagem a estes bombeiros que salvaram a sua vida. O acidente ocorreu pelas 3h40, depois de ter adormecido ao volante. “Quando o carro deu a primeira cambalhota no ar eu agarrei com força o volante e a partir daí as cambalhotas foram sempre de trás para a frente até que perdi os sentidos e já só acordei na vala, completamente fora da estrada”, explica.

No total, foram quatro horas encarcerada dentro do carro, sem comunicações, até ser avistada pelo automobilista que deu o alerta às autoridades. Rute Reis não esquece o momento de desencarceramento. “Os bombeiros transmitiram-me paz, carinho, força, apoio e, sobretudo, muita calma e até me elogiaram porque me portei bem sempre com muita colaboração e mantive-me calma durante todo o processo”, confessa.

“A minha decisão em fazer o agradecimento foi expontâneo”, admite a vítima. “Primeiro, porque tive a fantástica sorte de sobreviver praticamente intacta, tendo em conta o estado em que o carro ficou. Depois porque os louvores devem ser dados em vida e aos merecedores E, acima de tudo, porque todo e qualquer trabalho de bombeiro deve ser louvado e eu senti-me imensamente grata por isso”.

Rute Reis sofreu fracturas de uma bacia e de algumas costelas e lesões numa vértebra. Ainda não sabe quando sairá do hospital mas reconhece que tem pela frente um longo caminho de recuperação. Para já, promete que quando estiver recuperada irá visitar os bombeiros que a socorreram.



Sonho de ser bombeira quase realidade
Foi há sete anos, que Rute Reis pensou entrar para a Cruz Vermelha e ser socorrista, mas por razões familiares não conseguiu. Entretanto, decidiu abrir o bar do quartel dos Bombeiros Voluntários de Alenquer e foi lá, admite, que “despertou novamente esse bichinho que vive há anos dentro de mim”. Começou, então, a dar os primeiros passos nos bombeiros e hoje afirma que quer, quando se tornar numa bombeira, “honrar com brio a farda da mesma forma que os bombeiros que a salvaram.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo