Sociedade | 09-09-2017 13:30

Falta de rede no telemóvel motiva protesto original

Falta de rede no telemóvel motiva protesto original

Medidador de seguros de Santarém tem as montras da sua agência forradas de folhas com protestos contra a MEO.

Quem passa na Rua 1º de Dezembro, no centro histórico de Santarém, dificilmente não repara na montra de uma agência de seguros repleta de folhas de papel coladas aos vidros onde estão escritas queixas e protestos contra a operadora de telecomunicações MEO. O autor é José Rodrigues, mediador de seguros que ali está instalado há quase quatro anos. Diz que sempre teve um sinal de rede fraco no local, situação que ultimamente se tem deteriorado ao ponto de ser obrigado a ir para o exterior das suas instalações para conseguir falar com os clientes.


No dia 10 de Agosto, José Rodrigues deslocou-se à loja da MEO em Santarém com todas as reclamações que já havia apresentado e com fotografias da sua montra cheia de frases de indignação contra a operadora, recebendo a resposta no dia seguinte onde a empresa dizia mais uma vez que a zona tem boa cobertura e que dentro de portas é que existe a possibilidade de a cobertura de rede ser menor. A MEO já lhe havia também comunicado, em anteriores contactos, que pode adquirir um amplificador de sinal para instalar no interior da agência, mas a expensas suas.


José Rodrigues sublinha que o seu negócio implica estar constantemente ao telefone e na Internet, mas a falta de rede faz com que seja impossível manter uma chamada telefónica dentro do estabelecimento tendo de “fazer da rua o seu escritório”. Quando necessita de ir ver alguma informação e tem de regressar ao interior, a chamada cai de imediato.


O mediador de seguros diz já ter apresentado oito reclamações à operadora mas em resposta apenas lhe dizem que a rede naquele local é boa e que “o problema deve-se à grossura das paredes”. Contactou também a ANACOM - Autoridade Nacional de Comunicações que apenas lhe disse mais do mesmo, afirmando que “a rede nacional era satisfatória” e dando o assunto por encerrado.


As reclamações remontam a 14 de Fevereiro deste ano e a resposta por parte da operadora nunca mudou, apontando apenas duas soluções: ou mudava de instalações ou comprava uma antena que permitisse ampliar o sinal.


Foi o arrastar desta situação e a falta de interesse por parte da operadora, que nunca enviou um técnico ao local para testar o sinal, que levaram José Rodrigues a tomar medida drásticas que o próprio reconhece que vão contra os seus princípios.


José Rodrigues orgulha-se de ser um cliente cumpridor sem nenhum pagamento em atraso e apenas deseja que a operadora seja capaz de mostrar um pouco de compreensão pela forma como esta situação está a afectar o seu negócio e espera que se proponha a encontrar uma solução.

Mais Notícias

    A carregar...
    Na quermesse das festas de Ulme
    Foto do Dia
    Durante os dias das festas de Ulme, um dos grupos que nunca parou foi o da quermesse. Entre canecas, pratos, chávenas de café, copos e panos de cozinha, tudo podia sair nas rifas vendidas no espaço assegurado por 12 jovens voluntários que ajudaram noite e dia para um objectivo comum: angariar fundos para a construção da sede da Sociedade Recreativa Ulmense.
    Foto do Dia | 25-09-2017

    Edição Semanal

    Edição nº 1317
    21-09-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1317
    20-09-2017
    Capa Médio Tejo