Sociedade | 17-09-2017 00:02

Milhões de litros de água potável desperdiçados em Vila Franca de Xira

Situação ocorre todos os dias. Adutor do Alviela precisa de obras e tem seis pontos em ruptura no concelho.

Numa altura em que boa parte do país atravessa uma situação de seca severa e extrema, no concelho de Vila Franca de Xira estão a ser desperdiçados milhões de metros cúbicos de água todos os dias.

Em causa estão rupturas nas seis “torneiras” do aqueduto do Alviela que atravessa o concelho, uma estrutura da responsabilidade da Empresa Portuguesa de Águas Livres (EPAL) que é usado para fornecer água a vários concelhos da Área Metropolitana de Lisboa.

Duas dessas situações são registadas a norte do concelho, em Povos e em Castanheira do Ribatejo, junto à herdade Palha. Mas há relatos também na Póvoa de Santa Iria.

O alerta para a situação foi deixado pelo presidente da Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira, Mário Calado (CDU), sobre uma ruptura em Povos que classifica de criminosa.

“Fui à ruptura e fiz umas contas rápidas. Em dez segundos um bidão de 50 litros ficou cheio. Num minuto isso dá 300 litros. 18 000 litros numa hora. Quase 432 mil litros de água num dia. As pessoas que lá moram dizem-me que aquilo está há 15 ou 16 anos naquela vergonha. É muito grave. Aquilo é criminoso. Cortamos água a alguém que desgraçadamente não tem condições económicas de a pagar e depois permitimos que aquilo aconteça. Em 10 anos a água desperdiçada ronda um bilião e 600 mil litros”, criticou o autarca na última sessão da Assembleia Municipal de Vila Franca de Xira.

O presidente dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS), António Oliveira, manifesta também a sua preocupação e garante que por várias vezes os serviços já notificaram a empresa para proceder a obras no adutor.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo