Sociedade | 23-09-2017 00:02

'Peitaça' sai das arenas depois de vinte anos a pegar toiros

'Peitaça' sai das arenas depois de vinte anos a pegar toiros

Rui Godinho, forcado de Coruche, despede-se este domingo numa corrida de toiros em sua homenagem na praça de Coruche.

Imagine entrar num espaço onde o espera um animal a rondar os 600 quilos e que já colocou inconsciente um dos colegas. Foi assim que se sentiu mais do que uma vez um dos mais antigos forcados do país e que nos recebeu a poucos dias de ser homenageado e deixar as arenas, este domingo, 24 de Setembro, na praça de toiros de Coruche.

Rui Godinho, 42 anos, conhecido carinhosamente por ‘Peitaça’ no grupo de Forcados Amadores de Coruche, pega toiros há 20 anos e nem o facto de ter ficado sem o dedo mindinho do pé o fez parar. Uma paixão que já vem no sangue, não fosse o seu avô materno campino na antiga ganadaria Henriques da Silva, no Couço, concelho de Coruche.

“Já em pequeno pedia ao meu avô para me acordar para depois irmos os dois no cavalo para o maneio do gado. Eu gostava tanto disto que quando dava touradas não havia ninguém que me tirar de frente da televisão e até mesmo no recreio da escola costumava brincar com os meus amigos a imitar as pegas. Os meus amigos eram o toiro e eu era quase sempre o forcado de cara”, conta.

Em jovem ainda foi jogador de futebol nas equipas do Couço, nos Foros dos Lagoiços, no Águias do Sorraia e no Santajustense e bombeiro durante cinco anos, mas quis o destino que o bichinho pelas pegas falasse mais alto. “Eu entrei nos Bombeiros Voluntários de Coruche com 17 anos. Foi o meu primeiro trabalho. Na altura, decidi alistar-me porque sempre gostei de fardas. Foi daí que surgiu a minha alcunha porque eu sou pequeno e costumava estar na formatura para bombeiro com o peito sempre para fora e os meus colegas bombeiros começaram a chamar-me assim” explica.

* Entrevista completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo