Sociedade | 02-10-2017 15:09

Politécnico de Tomar não admite praxes humilhantes

Politécnico de Tomar não admite praxes humilhantes

Pina de Almeida diz que não são permitidas praxes de “natureza vexatória ou humilhante”.

O presidente do Politécnico de Tomar (IPT), Eugénio Pina de Almeida, deixou uma mensagem aos alunos acerca das praxes académicas, onde deixa claro que “a legítima recusa de qualquer estudante em participar das praxes académicas não constitui, nem pode constituir, motivo para qualquer tipo de discriminação ou tratamento diferenciado”.

Apesar de o IPT sempre ter admitido e pretender continuar a admitir as praxes académicas, Eugénio Pina de Almeida, esclarece que estas devem ser feitas com vista à integração dos novos alunos e que, “por mais inofensivos que sejam, não podem, em caso algum ser impostos aos estudantes contra a sua vontade”

O presidente do IPT, não se dirigiu apenas ao novos alunos mas também aos estudantes que promovem essas práticas, declarando que não serão permitidas praxes de “natureza vexatória ou humilhante”, ou que possam ofender ou colocar em risco a integridade física e psicológica dos estudantes, acrescenta ainda que que as praxes académicas não devem impedir os estudantes de frequentar as aulas ou permanecer nas mesmas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo