Sociedade | 06-10-2017 11:40

Caricato louvor à GNR de Alpiarça deixado no posto no feriado

Caricato louvor à GNR de Alpiarça deixado no posto no feriado

No mínimo é um louvor insólito atribuído pela minoria na câmara, à revelia do presidente da autarquia.

No mínimo é um louvor insólito atribuído pela minoria na câmara, à revelia do presidente da autarquia e sem que o comando da Guarda autorizasse a saída do comandante para a cerimónia.

Esta quinta-feira, 5 de Outubro, os vereadores da oposição na Câmara de Alpiarça, Francisco Cunha (PSD/MPT) e Pedro Gaspar (PS) decidiram entregar no posto um louvor, recebido pelo comandante Sérgio Malacão, que não pôde por o pé na rua. O louvor não foi aprovado pela câmara e a cerimónia acabou por resumir-se à entrega de um papel.

Recorde-se que ao longo do actual mandato, o movimento Todos Por Alpiarça apresentaram por várias vezes uma proposta de louvor ao trabalho da GNR do concelho mas tal nunca foi aprovada, nem na câmara nem na assembleia municipal.

Esta espécie de homenagem ocorre numa altura em que sargento da GNR, que comanda o posto, está acusado pelo Ministério Público de sete crimes, entre os quais corrupção passiva, falsificação e abuso de poder.

A acusação diz respeito ao período em que o militar estava a comandar o posto de Coruche, entre 2010 e 2012, sendo-lhe imputada a prática, além destes crimes, de denúncia caluniosa, denegação de justiça, coacção e prevaricação.

Francisco Cunha explicou a O MIRANTE que avançaram com esta distinção por considerarem justa a homenagem “pelo seu trabalho há vários anos a defender a população de Alpiarça. Decidimos fazê-lo depois das eleições autárquicas para não nos acusarem de aproveitamento político. Ainda somos vereadores por isso representamos a população”, referiu.

“O sargento agradeceu e disse que vão continuar a trabalhar como até aqui. Foi uma homenagem muito singela, quisemos agradecer o trabalho de todos os militares”, disse Francisco Cunha.

Na iniciativa também marcaram presença, entre outros, os candidatos à presidência da câmara municipal, Sónia Sanfona (PS), que foi eleita vereadora na oposição para o próximo mandato, e Paulo Sardinheiro (PSD/CDS).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Médio Tejo