Sociedade | 11-10-2017 08:52

PCP lamenta perdas nas autárquicas e fala em campanha anti-comunista

PCP lamenta perdas nas autárquicas e fala em campanha anti-comunista
Foto - Partido Comunista Português

CDU obteve 24813 votos (11,7%) para as câmaras municipais, menos 5479 votos que em 2013.

A Direcção da Organização Regional de Santarém (DORSA) do PCP reconhece como “negativa” a perda da CâmaraMunicipal de Constância para o PS mas sublinha que o resultado das eleições autárquicas de 1 de Outubro na região e no país “confirma a CDU como a grande força de esquerda no poder local”.

No balanço das eleições autárquicas na região, o PCP recorda que no distrito de Santarém a CDU (coligação que envolve o Partido Comunista Português e o Partido Ecologista “Os Verdes”) obteve 24813 votos (11,7%) para as câmaras municipais, menos 5479 votos que em 2013, conquistando a presidência das Câmaras Municipais de Alpiarça e Benavente, obtendo um total de 14 eleitos em executivos municipais, 58 em assembleias municipais e 138 em assembleias de freguesia. Mas não menciona a parde dos vereadores que tinha em câmaras como as de Santarém, Abrantes, Tomar, Entroncamento, Torres Novas, Rio Maior e Salvaterra de Magos.

“Os resultados eleitorais no distrito de Santarém não retiram a determinação do PCP e da CDU de continuar a luta pela defesa, reposição e conquista de direitos, bem como não reduz a sua influência real”, lê-se no comunicado emitido pela DORSA do PCP, que salienta ainda “o quadro de hostilização que acompanhou a intervenção do PCP e da CDU ao longo dos últimos meses”. Os comunistas falam de “uma campanha sistemática de ataque anti–comunista, de desvalorização do papel do PCP na vida política nacional, de lançamento de suspeitas sobre eleitos da CDU, entre outros.

O PCP refere ainda que “a situação social e económica no distrito continua marcada pelas consequências de décadas de política de direita, em que se destacam o nível elevado da taxa de desemprego, os baixos salários, a precariedade laboral, entre outros” e “saúda as recentes acções de luta dos trabalhadores da Sumol + Compal, em torno do aumento dos salários, dos trabalhadores do Minipreço pela justa equiparação das carreiras profissionais, entre muitas outras que tiveram lugar nos últimos meses”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1321
    18-10-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1321
    18-10-2017
    Capa Médio Tejo