Sociedade | 19-10-2017 09:02

Penhora ameaça futuro de associação de apoio a deficientes em Vialonga

Penhora ameaça futuro de associação de apoio a deficientes em Vialonga

Credores do construtor das actuais instalações reclamam perto de 800 mil euros.

A Associação Projecto Jovem de Vialonga (APJ), que apoia 38 jovens e adultos com deficiência e outra meia centena de pessoas na sua cantina social, tem o seu futuro em risco depois de, este Verão, ter visto a sua conta bancária penhorada para liquidar dívidas antigas referentes à construção das suas instalações, na Quinta da Maranhota.


Em causa está, alegadamente, uma dívida com mais de uma década e meia que é reclamada pelos credores do construtor do edifício. Dívida assumida parcialmente pela anterior direcção da instituição através da assinatura de letras mas nunca reconhecida pela actual direcção, liderada por Maria Goretty Ribeiro.


O construtor alegava trabalhos a mais que foram necessários para a obra ficar concluída e agora que a firma entrou em insolvência os credores da empresa reclamam o seu pagamento. A actual direcção recusa pagar por entender que não houve autorização para esses trabalhos serem realizados.


Inicialmente estariam em dívida perto de 500 mil euros mas com os juros de mora e encargos o valor já ronda os 800 mil. Este Verão a conta bancária da APJ foi penhorada até que seja pago o valor em dívida, situação que coloca em risco o funcionamento da instituição e hipoteca o seu futuro.

Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo