Sociedade | 02-11-2017 10:26

Bairro das Bragadas na Póvoa de Santa Iria sente-se esquecido

Bairro das Bragadas na Póvoa de Santa Iria sente-se esquecido

Moradores querem mais limpeza e melhores condições nos espaços públicos

Falta de sinalização de trânsito e de passadeiras, estacionamento abusivo de camiões que destrói os passeios, falta de limpeza de terrenos e cães vadios, são algumas das situações que estão a deixar descontentes alguns moradores do Bairro das Bragadas, na Póvoa de Santa Iria. Os habitantes sentem-se esquecidos e reclamam por intervenções no bairro junto da junta de freguesia e da Câmara de Vila Franca de Xira. O facto de muitas paragens de autocarro não terem abrigos e de os ecopontos para depositar resíduos para reciclagem ficarem a um quilómetro, são outros motivos de descontentamento.


Os problemas começam logo na rotunda das Bragadas, onde “antes das eleições colocaram três árvores velhíssimas e um monte de terra. Nem foram capazes de a terminar”, refere Luís Magalhães, de 65 anos. Alguns moradores consideram-se esquecidos pela União de Freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa. A frustração dos habitantes é ainda maior porque as intervenções necessárias não são assim tão difíceis de executar. “Nestes últimos meses, na Póvoa de Santa Iria pintaram as passadeiras todas e fizeram novas marcações nas estradas. Aqui nada foi feito. Parece que se acabou a tinta”, ironiza Paulo Magalhães.


O Bairro das Bragadas nasce de uma antiga AUGI – Área Urbana de Génese ilegal, tendo passado a zona urbanizada legalizada em 2009. Para que isto fosse possível, os proprietários dos lotes tiveram, cada um, que desembolsar cerca de dez mil euros. “Pagamos o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) para que os órgãos autárquicos tenham ferramentas para resolver os nossos problemas, mas eles não fazem nada”, explica Pedro Lopes.
A Câmara de Vila Franca de Xira disse a O MIRANTE que está a articular-se com a União de Freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte Casa para resolver os problemas já identificados. Garante que não se esqueceu do Bairro das Bragadas, que merece tanta atenção como todos os outros bairros do concelho. Os moradores ameaçam cortar a entrada no bairro se não virem sinais de que as situações são resolvidas. “Temos de fazer algo para que que nos ouçam e talvez assim a junta e a câmara perceba a importância que o bairro tem para esta freguesia”, conclui Paulo Magalhães.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo