Sociedade | 24-11-2017 13:28

No mercado de Rio Maior a maioria dos vendedores é das Caldas da Rainha

No mercado de Rio Maior a maioria dos vendedores é das Caldas da Rainha
Maria Cândida é a vendedora mais velha do mercado

Vendedores mais antigos continuam a manter a tradição mas o movimento é pouco.

O mercado é de Rio Maior mas os vendedores são quase todos do concelho vizinho de Caldas da Rainha. Um facto que não parece incomodar vendedores de um e de outro concelho, que em mais uma manhã de sábado atarefada vendem brócolos, tomates, batatas, maçãs, uvas, tremoços e azeitonas ou amanham umas douradas, pescadas e robalos. “Aqui não há rivalidades. Muito pelo contrário, somos todos amigos”, confessa Maria Alice Frazão, de Alcobertas, uma das poucas vendedoras do concelho de Rio Maior. “Antigamente éramos muito mais vendedores daqui do concelho mas deixaram de vir porque já não compensa”.


Foi aos 18 anos que Maria Alice começou a vender no mercado de Rio Maior, seguindo as pisadas da mãe e da avó. Na altura, tinha acabado de se casar e como nem ela nem o marido tinham emprego, decidiram começar a cultivar hortícolas e a venderem na antiga praça. “Vínhamos de tractor ou de motorizada. O pior, diz, era no Inverno em que, “com tanto frio e gelo, chegávamos sempre resfriados”. A vender no mercado há 42 anos confessa que o negócio já teve dias melhores porque com o aparecimento dos hipermercados as pessoas deixaram de aparecer no mercado. “As coisas até podem ser lá mais caras, mas quando vão lá aproveitam e aviam-se logo de tudo”, adianta enquanto remexe nos poucos cachos de uvas que tem ainda para vender.

Reportagem completa para ler na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo