Sociedade | 24-11-2017 12:08

Proximidade a Lisboa já não basta para atrair médicos

Proximidade a Lisboa já não basta para atrair médicos
SAÚDE. Novos clínicos já entraram ao serviço e vão ajudar a baixar a taxa de utentes sem médico de família

Sete das vinte vagas abertas para médico de família na área do Agrupamento dos Centros de Saúde do Estuário do Tejo ficaram por preencher.

Já entraram ao serviço dos centros de saúde dos cinco concelhos abrangidos pelo Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES) do Estuário do Tejo – Vila Franca de Xira, Arruda dos Vinhos, Alenquer, Benavente e Azambuja - os treze novos médicos admitidos em concurso público. No entanto, ficaram por preencher sete das 20 vagas colocadas a concurso público. Dos 225.600 utentes inscritos neste agrupamento cerca de 26 por cento não tem ainda médico de família.


O concelho com maior número de médicos colocados agora foi Vila Franca de Xira, com oito clínicos: três para o Centro de Saúde da Póvoa de Santa Iria, três para a Unidade de Saúde Familiar de Arcena (Alverca) e dois para o centro de saúde da sede de concelho. A situação permite dotar 15.200 pessoas de médico de família. Mas ainda ficam 42 mil pessoas à espera de vaga, segundo contas da câmara municipal. Os médicos admitidos são sobretudo provenientes do norte e centro do país, nomeadamente da zona do Porto e de Coimbra.

Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE AQUI

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo