Sociedade | 30-11-2017 08:32

Vigília à porta do Centro de Saúde de Benavente

Vigília à porta do Centro de Saúde de Benavente

Cerca de 8000 utentes sem médico de família.

Estavam dez graus ao cair da noite desta quarta-feira, 29 de Novembro, uma temperatura difícil de suportar para os jovens e ainda menos para os cerca de 60 idosos que se reuniram às portas do Centro de Saúde de Benavente para uma vigília em manifestação pela falta de médicos de família, pelo funcionamento deficiente do serviço de urgências e pelas restantes falhas na cobertura médica do concelho.

A manifestação foi organizada pela Comissão de Utentes de Benavente, contou com a presença de membros do executivo municipal e foi composta na sua maioria por utentes que, mesmo tendo médico de família ou acesso a seguros de saúde e a hospitais privados, quiseram protestar pelos quase 8.000 no total do concelho que não têm, como foi o caso de Ana Marques, 80 anos, que contou à jornalista de O MIRANTE que apesar de ter uma médica de família atribuída, e sendo diabética, passa muitos meses sem poder chegar a ter consulta com ela. "Desde Outubo que estou a tentar marcar consulta e ainda não consegui. Tenho de fazer análises de três em três meses e quando as conseguir mostrar já devem estar desactualizadas", contou.


*Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Médio Tejo