Sociedade | 07-12-2017 17:48

GNR interrompe velório em Fazendas de Almeirim para transportar corpo para autópsia

GNR interrompe velório em Fazendas de Almeirim para transportar corpo para autópsia

A autópsia de Marisa Nunes, que morreu após exame médico, foi solicitada pela família.

O velório da jovem de Fazendas de Almeirim que morreu na quarta-feira no hospital, na sequência de complicações com um exame médico, foi interrompido esta quinta-feira, por ordem do tribunal. A interrupção do velório, quando ainda só estavam na casa mortuária os familiares próximos da falecida, deveu-se à necessidade de transportar o corpo de Marisa Nunes, de 33 anos de idade, para autópsia.

O transporte foi acompanhado pela GNR de Almeirim. A autópsia, para determinar as causas da morte, foi solicitada pela família, tendo sido determinada pelo Ministério Público quando o corpo já estava na casa mortuária.

Marisa Nunes ficou em estado crítico na altura em que estava ser submetida a uma Angio-TC Coronária. Um exame que permite avaliar a anatomia da árvore coronária, para se avaliar o funcionamento do coração.

Para a realização do exame é necessário administrar na pessoa um produto de contraste, bem como medicamentos (beta-bloqueadores) que diminuem a rapidez dos batimentos de cardíacos como forma de facilitar a aquisição de imagens. Terá sido na administração destes produtos que a doente fez uma reacção alérgica.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1329
    13-12-2017
    Capa Médio Tejo