Sociedade | 03-01-2018 11:06

Junta de Almeirim muda de sede pela quinta vez e não vai ficar por aqui

Junta de Almeirim muda de sede pela quinta vez e não vai ficar por aqui

Sede da junta fica provisoriamente na Rua de Coruche até se transferir novamente para antigo posto da GNR onde tem funcionado o tribunal.

A Junta de Freguesia de Almeirim vai passar a funcionar numa loja na Rua de Coruche. A mudança é provisória e deve-se à mudança do tribunal da cidade para o edifício onde até agora funcionava a junta, que vai ser adaptado. Esta é a quinta mudança de sede da junta e dentro de alguns meses vai ocorrer a sexta transferência de instalações, para o antigo posto da GNR e onde tem funcionado o tribunal.

Enquanto decorrem obras no edifício de três pisos da Rua Bernardo Gonçalves onde a junta de freguesia esteve nos últimos quatro anos, a junta passa a funcionar na Rua de Coruche até que o tribunal saia das antigas instalações da GNR, altura em que a junta se muda então para este edifício, depois de algumas adaptações.

Só durante a duas décadas dos mandatos de Joaquim Sampaio como presidente, a junta mudou-se quatro vezes. A junta começou por funcionar numa casa de habitação adaptada na rua do Paço que começou a ter problemas de infiltrações. Quando Joaquim Sampaio toma posse no seu primeiro mandato já o anterior executivo tinha negociado a aquisição de uma loja nuns prédios novos junto à igreja paroquial.

Ao fim de seis anos nas instalações junto à igreja, concluiu-se que o espaço já não servia os interesses da autarquia. Joaquim Sampaio negociou então a permuta do espaço com a Câmara de Almeirim, que dava o antigo posto da GNR no Largo Manuel Rodrigues Pisco.

Com a necessidade de se ceder um espaço para a instalação do tribunal. A permuta foi assinada mas não se concretizou na prática. A câmara arrendou o antigo posto ao Ministério da Justiça mas decidiu compensar a junta transferindo os 1800 euros que cobra de renda. Com esse dinheiro Sampaio arrendou duas lojas em frente aos paços do concelho, pelas quais estava a pagar perto de 1700 euros. Neste espaço a sede da junta aguentou-se mais de dez anos.

No início de 2013 decidiu-se fazer outra mudança porque já não havia espaço para o arquivo e os gabinetes já não chegavam. A junta passou para um edifício de três pisos arrendado na rua Bernardo Gonçalves poupando cerca de 200 euros nas despesas de arrendamento.

Entretanto há a necessidade de reinstalar o tribunal, já que o edifício do antigo posto da Guarda tem muitas limitações para o serviço. O presidente da câmara, Pedro Ribeiro, decidiu comprar o edifício onde até agora estava a junta e devolver o espaço do tribunal à junta.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo