Sociedade | 24-01-2018

Tetraplégico retido num primeiro andar em Salvaterra

Henrique Correia tem de se arrastar escadas abaixo para chegar à sua motorizada eléctrica estacionada na entrada do prédio.

Henrique Correia ficou tetraplégico depois de cair de uma altura de 15 metros quando andava a apanhar pinhas com um amigo na Barragem de Magos. Já lá vão quase 20 anos. O apartamento onde vive com a família, em Salvaterra de Magos, teve que ser adaptado à sua nova condição. Mas as escadas limitam-lhe a mobilidade e sempre que quer sair tem de ser transportado às cavalitas ou precisa de alguém que agarre na cadeira de rodas.

Quando o irmão ou o padrasto não estão em casa, Henrique fica retido no apartamento, ou então tem de se arrastar escadas abaixo para chegar à sua motorizada eléctrica estacionada na entrada do prédio.

Henrique e a família pedem ajuda para a colocação de um elevador próprio para deficientes. Também existe a hipótese de alugar o rés-do-chão situado no mesmo prédio onde mora a sua família. No entanto, os escassos rendimentos da família não permitem suportar estar despesas.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo