Sociedade | 14-02-2018 07:04

Árvore causa problemas a moradores do Bom Retiro

Árvore causa problemas a moradores do Bom Retiro
QUEIXAS. Moradores já tiveram problemas nos apartamentos por causa de árvore de grande porte

Há pelo menos seis anos que os moradores da rua Maria Lamas reclamam por soluções para o problema.

Uma árvore que é mais alta que os prédios no bairro do Bom Retiro, em Vila Franca de Xira, está a causar problemas aos moradores da Rua Maria Lamas e num dos apartamentos os entupimentos causados pelas folhas já originaram inundações e prejuízos avultados.


Quem vive na zona pede soluções para o problema e nem todos defendem o abate da árvore. A maioria pede podas mais extensivas que minimizem os impactos dos ramos nas habitações. O alerta foi deixado na última semana por Maria Cândida, moradora do nº2, que viu o último piso do prédio ficar “completamente alagado” e por isso foi à reunião de câmara pedir soluções para o problema.


“A árvore que está no meio da praceta já ultrapassou o tamanho do prédio e as coisas continuam na mesma. Os entupimentos causados pelas folhas nos algerozes já nos têm causado muitos prejuízos e a próxima vez que haja inundações vamos imputar os custos no município, que nunca fez qualquer tratamento ou desbaste daquela árvore”, lamentou a moradora.


E não é a única. Também Valdemar Mateus, administrador do condomínio, se queixa dos problemas causados pelas folhas da árvore. “Nos dias de vento parece que a árvore nos vai entrar casa dentro, é assustador. A árvore está grande demais para continuar naquele local”, diz a O MIRANTE. Outros moradores admitem que a árvore “tem muitos problemas” mas compreendem que abater uma árvore daquele porte também não é boa ideia. “O ideal seria cortarem mais ramos, fazerem uma poda mais intensiva”, defende Rosa Morgado, moradora.


Há dois anos o então presidente da Junta de Vila Franca de Xira, Mário Calado, juntamente com o vice-presidente da câmara, Fernando Paulo Ferreira, estiveram no local para avaliar as queixas dos moradores e foi sugerido o corte parcial da árvore, ideia que os serviços técnicos rejeitaram por considerarem que colocava em causa a sobrevivência da árvore. Entretanto o assunto ficou em banho-maria.


O presidente do município, Alberto Mesquita, admite que este é um problema que existe um pouco por todo o concelho e não apenas no Bom Retiro. “O passo mais radical será abater a árvore. Não queremos isso mas em casos extremos terá de ser. Muitas destas árvores estão também a destruir as condutas de água. O objectivo, como vamos fazer nas escolas, é começar a plantar outras espécies que não tragam tantos problemas”, refere.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo