Sociedade | 11-03-2018 19:29

Ligeira descida das águas na bacia do Tejo

Ligeira descida das águas na bacia do Tejo
Foto O MIRANTE

Estabilização dos caudais do rio Tejo não se pode ainda considerar como um desagravamento da situação de cheias, mantendo-se todas as recomendações.

Os níveis das águas na bacia do Tejo registam hoje uma “ligeira descida” devido ao decréscimo nos caudais lançados pelas barragens, mantendo-se, contudo, as recomendações feitas no sábado às populações ribeirinhas pela Protecção Civil.

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém afirma que, segundo a informação disponibilizada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e pela EDP Produção, os caudais descarregados no conjunto das barragens da Bacia do Tejo mantiveram-se abaixo dos 1.000 metros cúbicos por segundo ao longo da madrugada de hoje, prevendo-se a manutenção destes valores nas próximas horas.

“Na bacia hidrográfica do Sorraia, as barragens de Maranhão e Montargil continuam com capacidade de encaixe, não havendo qualquer descarga feita pelas mesmas”, sendo que os caudais hidrológicos verificados no rio Sorraia se devem a precipitação decorrente nessa bacia, afirma o comunicado.

“A estabilização dos caudais do rio Tejo não se pode ainda considerar como um desagravamento da situação de cheias, mantendo-se todas as recomendações plasmadas nos comunicados anteriores”, acrescenta.

O Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo foi accionado no sábado em nível de alerta amarelo, devido à previsão de alagamentos e inundações decorrente da subida dos caudais do rio Tejo, tendo a população das zonas ribeirinhas do distrito sido aconselhadas a tomar medidas de precaução, como a retirada de equipamentos e de animais de zonas normalmente inundáveis e não atravessar, com viaturas ou a pé, estradas ou zonas alagadas.

Segundo o comunicado emitido hoje, neste momento estão submersos os caminhos municipais 1445, entre Rebolo e Biscainho, e 1427, entre Amieira e Raposeira, a estrada municipal 590, entre Couço e Santa Justa, e o caminho agrícola entre as estradas nacionais 114 e 251, no concelho de Coruche.

No concelho da Golegã, estão submersas a estrada municipal 1, estrada de Lázaros, e nacional 365, entre Pombalinho e Vale de Figueira, e no de Santarém as pontes dos Alcaides-Amajões e da Vala de Calhariz e o caminho municipal 1348, entre Ribeira de Santarém e Vale de Figueira.

Em Constância, mantém-se a submersão parcial do parque de estacionamento junto ao rio Zêzere.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo