Sociedade | 13-03-2018 10:14

Ponte Rainha D. Amélia reaberta ao trânsito

Ponte Rainha D. Amélia reaberta ao trânsito
Foto O MIRANTE

A decisão foi tomada depois de consultado o Comandante Distrital de Operações de Socorro de Santarém.

Os municípios do Cartaxo e de Salvaterra de Magos decidiram reabrir a ponte Rainha D. Amélia, dada a redução dos caudais e das correntes no Tejo e a garantia da Infraestruturas de Portugal de inexistência de problemas nas fundações.

Os presidentes das Câmaras Municipais do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro, e de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio, afirmam que a circulação na ponte centenária que liga os dois concelhos vai ser retomada cerca das 10h30 desta terça-feira, “por estarem ultrapassadas as reservas e os condicionalismos que ditaram o seu encerramento no passado sábado, pelas 20h00”.

A decisão foi tomada depois de consultado o Comandante Distrital de Operações de Socorro de Santarém, “que confirmou a redução dos caudais e das correntes no rio Tejo em relação aos valores registados no passado fim de semana”, e de ouvidas as declarações hoje proferidas pelo presidente executivo do conselho de administração das Infraestruturas de Portugal (IP) que asseguram a “inexistência de problemas ao nível das fundações da ponte”.

Os autarcas citam declarações feitas esta segunda-feira, 12 de Março, por António Laranjo, no sentido de que o relatório que a IP está a elaborar “não indicia nenhum tipo de problema nessa matéria [fundações]”.

“Os presidentes das Câmaras Municipais do Cartaxo e de Salvaterra de Magos assinalam com agrado a resposta, que procuravam há algumas semanas, relativa às dúvidas de segurança que se colocavam ao nível das fundações dos pilares da Ponte Rainha D. Amélia, que liga ambos os concelhos, congratulando-se sobretudo, fazendo fé na declaração citada, com a inexistência de problemas ao nível das fundações da ponte ”, afirma a nota.

Apesar da reabertura ao trânsito (que se faz num sentido de cada vez, com controlo semafórico), poderão ocorrer “situações pontuais de interrupção do trânsito durante as próximas semanas”, no “âmbito das acções de manutenção e reparação das guardas metálicas e dos apoios do tabuleiro” que estão em curso, “sendo os trabalhos de maior duração preferencialmente realizados em período nocturno”, acrescenta.

Pedro Magalhães Ribeiro e Hélder Esménio afirmam que “ficam a aguardar a redacção final do Relatório Técnico solicitado pelas autarquias” e pedem que sejam respeitadas as limitações à circulação impostas no passado dia 14 de Fevereiro – velocidade máxima de 30 quilómetros/hora e a veículos de peso inferior a 3,5 toneladas - nesta “infraestrutura rodoviária importante para as pessoas e para a economia regional que importa preservar”.

Nessa ocasião, foram anunciadas “medidas a adoptar de imediato”, como a reparação dos apoios do tabuleiro, danificados pelo excesso de carga, dada a “utilização abusiva” da ponte por veículos que “ultrapassam largamente as restrições impostas” pela então Junta Autónoma de Estradas (JAE), na altura da adaptação da ponte ferroviária em rodoviária (1996).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo