Sociedade | 26-04-2018 15:11

Descarga em linha de água de Azambuja levanta suspeitas

Empresa garante que não poluiu o ambiente e que os efluentes despejados em linha de água afluente do Tejo eram água da chuva.

A empresa de tratamento de resíduos industriais Triaza foi alvo de denúncia sobre uma descarga de efluentes para uma linha de água em Azambuja que vai desaguar ao rio Tejo. A operação que previa efectuar a transferência de efluentes de duas lagoas destinadas a receber águas residuais terá acabado na linha de água.

Um engenheiro da empresa foi à reunião de câmara de Azambuja garantir que “não há contaminação das águas que foram transferidas” e referiu que “aquilo que a Triaza fez foi passar águas pluviais de uma lagoa para a outra”. As duas lagoas são propriedade privada da empresa e destinam-se, segundo explicou o engenheiro, a receber águas residuais e lixiviantes de um aterro, mas estavam há dois anos a armazenar águas pluviais.

Por esse motivo foi necessária a transferência, que foi posteriormente escoada para a linha de água pública. “Tratava-se de águas limpas e por isso não fazia sentido descarregá-las no emissário. Temos autorização para descargas pluviais para a linha de água”, acrescentou.

* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo