Sociedade | 26-05-2018 19:38

Pais querem melhorias rápidas na escola do Bom Sucesso

Pais querem melhorias rápidas na escola do Bom Sucesso
Portaria da escola está situada ao fundo de uma rua apertada e sem saída e os pais pedem soluções

Situação coloca em causa a activação do plano de segurança e evacuação da escola. Estabelecimento de ensino de Alverca foi construído num terreno com socalcos e acabou com uma portaria virada para uma rua estreita e sem saída.

Vários pais e elementos da comunidade educativa que frequentam a escola básica do Bom Sucesso em Alverca, concelho de Vila Franca de Xira, exigem a tomada de medidas céleres que permitam acabar com as dificuldades de acesso rodoviário, pedonal e de emergência à escola.
Numa carta entregue ao executivo da câmara municipal, vários pais queixam-se que o estabelecimento de ensino, construído há duas décadas num terreno de grandes desníveis e socalcos, apresenta “problemas graves” de acesso, sobretudo rodoviário. O estacionamento em frente ao portão da escola é reduzido e feito numa rua com a configuração de um “U”, onde a entrada é a mesma que a saída, estreita e frequentemente ocupada na totalidade por estacionamento anárquico. Quando chove a situação é ainda mais caótica.
O problema, avisam os pais, é que a situação coloca em causa a activação do plano de segurança e evacuação da escola, porque muitos veículos de socorro e bombeiros não conseguem chegar ao local. Se houver uma emergência “o mais certo é toda a gente ter de fugir a pé com miúdos ao colo”, antevê Fernando Rodrigues, pai de uma aluna da escola. “Toda e qualquer situação de melhoria ou resolução para este grave problema impõe-se face ao carácter inadiável e premente desta questão”, afirmou Vanda Domingues, mãe de um aluno da escola que foi a uma reunião pública de câmara entregar aos vereadores um abaixo-assinado que está a circular na escola.
“Ainda há poucas semanas os miúdos pequenos carregados de mochilas tiveram de subir e descer dois lances íngremes de escadas para poderem ir da escola ao autocarro porque o autocarro nem sequer consegue chegar perto do portão da escola. É sobretudo um problema de segurança”, criticou Vanda Domingues.
Depois de completo, o abaixo-assinado deverá seguir, também, para a Direcção Regional de Educação de Lisboa e para a Direcção Geral dos Estabelecimentos Escolares. No documento, a que O MIRANTE teve acesso, exige-se “o estudo de soluções de trânsito e mobilidade que passem por criar efectivas soluções de acesso rodoviário e pedonal à escola”.
Exige ainda que, “no plano imediato”, se pondere a criação de uma ligação pedonal entre a Rua da Unidade e o perímetro escolar, “para criar melhores condições de acesso” ao estabelecimento de ensino. No abaixo-assinado é ainda reclamada a colocação de lugares de estacionamento para pessoas com deficiência.

Câmara reconhece problemas
O presidente do município, Alberto Mesquita (PS), admite dificuldades com os acessos à escola e defende a criação de uma portaria provisória virada para o lado da Panasqueira enquanto não se estudar uma solução definitiva. O autarca mostrou-se disponível para apoiar a realização das obras necessárias para criar essa portaria temporária.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo